As fotos divertidas de René Maltête

Por Avai Corrêa

Durante as décadas de 1950 e 1960, a fotografia de rua estava começando a tomar uma forma de arte, e o fotógrafo francês René Maltête deu-lhe um impulso com suas cenas cândidas e humorísticas.

Em 1951, Maltête mudou-se para Paris aos 21 anos, e comprou uma câmera Semflex 6×6 3 anos mais tarde na esperança de prosseguir uma carreira de fotografia séria. Sua grande ruptura, no entanto, veio com uma série de fotos que eram ligeiramente menos sérias. Tornou-se conhecido por suas cenas repletas de humor irônico, mostrando como as coisas mais engraçadas que acontecem na vida são muitas vezes apenas uma questão de bom momento.

retro-french-street-photography-rene-maltete-1 retro-french-street-photography-rene-maltete-2 retro-french-street-photography-rene-maltete-3 retro-french-street-photography-rene-maltete-4 retro-french-street-photography-rene-maltete-5 retro-french-street-photography-rene-maltete-6 retro-french-street-photography-rene-maltete-7 retro-french-street-photography-rene-maltete-8 retro-french-street-photography-rene-maltete-9 retro-french-street-photography-rene-maltete-10 retro-french-street-photography-rene-maltete-11 retro-french-street-photography-rene-maltete-12 retro-french-street-photography-rene-maltete-13 retro-french-street-photography-rene-maltete-14 retro-french-street-photography-rene-maltete-15 retro-french-street-photography-rene-maltete-16 retro-french-street-photography-rene-maltete-17 retro-french-street-photography-rene-maltete-18 retro-french-street-photography-rene-maltete-19 retro-french-street-photography-rene-maltete-20 retro-french-street-photography-rene-maltete-21 retro-french-street-photography-rene-maltete-22 retro-french-street-photography-rene-maltete-23 retro-french-street-photography-rene-maltete-24 retro-french-street-photography-rene-maltete-25 retro-french-street-photography-rene-maltete-26 retro-french-street-photography-rene-maltete-27 retro-french-street-photography-rene-maltete-28 retro-french-street-photography-rene-maltete-29 retro-french-street-photography-rene-maltete-30 retro-french-street-photography-rene-maltete-31 retro-french-street-photography-rene-maltete-32 retro-french-street-photography-rene-maltete-33 retro-french-street-photography-rene-maltete-34 retro-french-street-photography-rene-maltete-35 retro-french-street-photography-rene-maltete-36 retro-french-street-photography-rene-maltete-37 retro-french-street-photography-rene-maltete-38 retro-french-street-photography-rene-maltete-39 retro-french-street-photography-rene-maltete-40 retro-french-street-photography-rene-maltete-41 retro-french-street-photography-rene-maltete-42 retro-french-street-photography-rene-maltete-43 retro-french-street-photography-rene-maltete-44 retro-french-street-photography-rene-maltete-45 retro-french-street-photography-rene-maltete-46 retro-french-street-photography-rene-maltete-47 EPSON scanner image retro-french-street-photography-rene-maltete-49 retro-french-street-photography-rene-maltete-50 retro-french-street-photography-rene-maltete-51 retro-french-street-photography-rene-maltete-52 retro-french-street-photography-rene-maltete-53 retro-french-street-photography-rene-maltete-54 retro-french-street-photography-rene-maltete-55 retro-french-street-photography-rene-maltete-56 retro-french-street-photography-rene-maltete-57 retro-french-street-photography-rene-maltete-58 retro-french-street-photography-rene-maltete-59 retro-french-street-photography-rene-maltete-60 retro-french-street-photography-rene-maltete-61 retro-french-street-photography-rene-maltete-62 retro-french-street-photography-rene-maltete-63 retro-french-street-photography-rene-maltete-64 retro-french-street-photography-rene-maltete-65 retro-french-street-photography-rene-maltete-66 retro-french-street-photography-rene-maltete-68

(Via deMilked)

As 21 fotos mais impactantes do mundo

Por Gustavo Teixeira

A revista norte-americana TIME compilou a 100 fotos mais importantes da História com a ajuda de editores de fotografia, historiadores e curadores.

O critério para uma foto entrar nesse seletivo ‘hall da fama’ das fotos, era que devia retratar pontos de transformação em nossa experiência humana” segundo a revista. Partindo desse pressuposto, a revista apresentou uma variada coleção de fotos que foram e são importantes para a humanidade. Confira aqui, uma lista com 21 dessas fotos que tem poder imensurável.

1 – O Monge em Chamas, Malcolm Browne, 1963

fotos-mais-impactantes-do-mundo_1

O monge mahayana, durante uma manifestação contra a proposta religiosa do governo de Ngo Dinh Diem, ateou fogo em seu próprio corpo em Saigon, no Vietnam do Sul em 11 de junho de 1963. O fotógrafo Malcolm Browne que estava cobrindo a guerra dos EUA contra o Vietnam, fotografou o suicídio e a foto lhe rendeu o Prêmio Pulitzer.

2 – O Terror da Guerra, Nick Ut, 1972

fotos-mais-impactantes-do-mundo_2

O fotógrafo Huynh Cong Ut, conhecido como Nick Ut, registrou crianças correndo de um ataque de bomba Napalm em Trang Bang, na Guerra do Vietnam. Na foto, uma das mais conhecidas modernamente, a menina vietnamita Phan Thị Kim Phúc que na época tinha 9 anos aparece correndo desesperadamente e chorando nua. Após essa icônica foto rodar o mundo, Phan Thị Kim Phúc ficou conhecida como “Menina Napalm” e apesar de sofrer queimaduras no corpo, ela sobreviveu.

3 – A Criança Faminta e o Abutre, Kevin Carter, 1993

fotos-mais-impactantes-do-mundo_3

Esta foto, tirada pelo fotojornalista sul-africano Kevin Carter recebeu duras críticas. A foto foi tirada no Sudão, e, segundo o fotógrafo, os pais dela tinham ido a um centro de alimentação das Nações Unidas pegar comida para a família e deixaram a criança sozinha. O que poucos sabem é que o fotógrafo estava cercado de soldados sudaneses que o não deixavam interferir em várias situações. Após esperar 20 minutos para fazer o registro, Carter contrariou a ordem e espantou o abutre.

O jornal The New York Times que publicou a foto, recebeu muitas cartas perguntando o que havia acontecido com a menina, e então publicou uma nota explicando o ocorrido. Carter fazia parte de um grupo chamado “Bang Bang Club”, de fotojornalistas dos conflitos armados africanos. Ele ganhou o Prêmio Pulitzer pela foto, mas se matou aos 33 anos.

4 – Almoço no Topo de um Arranha-céu, 1932

fotos-mais-impactantes-do-mundo_4

A foto mostrando 11 trabalhadores comendo na estrutura de uma construção de quase 260 metros de altura é realmente um clássico da fotografia. Feita nos últimos meses de construção do Rockefeller Center, hoje Edifício GE, em Nova Iorque, a imagem gerou suspeitas de se tratar de uma montagem desde sua primeira publicação, no jornal New York Herald Tribune.

O crédito desta foto até hoje não é totalmente certo, mas muitos atribuem ao fotógrafo Charles C. Ebbets, ou ao fotógrafo Lewis Hine, que registravam as péssimas condições dos trabalhadores imigrantes na época. Mesmo que a foto não tenha autoria certa, sem dúvida é uma das mais marcantes da História.

5 – O Homem dos Tanques, Jeff Widener, 1989

fotos-mais-impactantes-do-mundo_5

Esta foto que rodou o mundo, foi tirada perto da Praça da Paz Celestial, na avenida Chang’an que corta a Cidade Proibida, na capital chinesa de Pequim,  em 1989. O Homem dos Tanques, ou como também é conhecido “O Rebelde desconhecido”, retrata um homem que durante protestos ficou parado na frente de tanques de guerra chineses, e foi tirada pelo fotógrafo Jeff Widener da sacada do Beijing Hotel, que ficava cerca de 800 metros do local onde ocorreu a famosa cena.

Mesmo os tanques tentando desviar do homem, ele continuou na frente do tanque, impedindo que passassem. Existem outras versões desta mesma fotografia de diferentes ângulos, mas a tirada por Jeff Widene é a conhecida no mundo todo.

6 – O Homem que Cai, Richard Drew, 2001

fotos-mais-impactantes-do-mundo_6

Essa foto é uma das mais emblemáticas do atentado terrorista às Torres Gêmeas que ocorreu em 11 de setembro de 2001 na cidade de Nova York. Ela foi registrada pelo fotógrafo Richard Drew, escalado para cobrir um desfile naquela manhã, mas foi logo enviado para cobrir o atentado. Richard conseguiu fotografar uma sequência de 12 quadros do homem em queda livre.

A fotografia estampou o The New York Times, mas foi parar também em diversos jornais e revistas dos Estados Unidos e do mundo. O homem que se jogou do altíssimo arranha-céu permanece anônimo até os dias de hoje, pois ninguém confirmou oficialmente sua identidade.

7 – Aylan Kurdi, Nilüfer Demir, 2015

fotos-mais-impactantes-do-mundo_7

Essa fotografia tirada pela fotojornalista turca Nilüfer Demir, ficou muito famosa no ano passado em meio à crise migratória na Europa. A fotógrafa se deparou com o menino na praia de Ali Hoca, em Bodrum, na Turquia. O menino, bem como sua família, era de Kobane, uma cidade curda-síria na fronteira da Turquia e estava fugindo dos conflitos entre extremistas muçulmanos e a forças armadas curdas.

Eles tentavam atravessar o Mar Egeu em um bote que carregava 17 pessoas, quando virou na tentativa de fugir para a Grécia. A fotógrafa Nilüfer Demir conta que ficou petrificada ao tirar a foto e quis compartilhar seu sentimento. O mundo inteiro ficou consternado e chocado com essa imagem, que é uma das mais importantes dos últimos tempos.

8 – Nascer da Terra, William Anders, NASA, 1968

fotos-mais-impactantes-do-mundo_8 (1)

Essa é uma das fotos mais bonitas já tiradas. Ela foi registrada durante a missão Apollo 8 à Lua por Willians Anders em 1968. Willians estava acompanhado dos astronautas Frank Borman e James Lovell que partiram para missão de orbitar a Lua. A bordo do foguete Saturno V, eles deram 10 voltas na Lua, sobrevoaram seu “Lado Oculto” e puderam observar a Terra nascer da perspectiva da Lua.

Essa foto é quase que um presente para nós, tamanha a beleza do nosso Planeta.

9 – A Nuvem de Cogumelo sobre Nagasaki, Tenente Charles Levy, 1945

fotos-mais-impactantes-do-mundo_9

Durante a Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos bombardearam as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, como uma resposta ao ataque japonês à base norte-americana de Pearl Harbor. A foto que chocou o mundo é da nuvem de cogumelo gerada pela explosão da bomba atômica lançada na cidade de Nagasaki.

A imagem foi feita pelo Tenente Charles Levy que comentou: “Era púrpura, vermelha, branca, todas as cores – algo parecido com o café fervente, parecia vivo” Estima-se que o número de mortos foi de 80.000 pessoas

10 – Dia V-J na Times Square, Alfred Eisenstaedt, 1945

fotos-mais-impactantes-do-mundo_10

Essa foto retrata um dos beijos mais famosos do mundo e foi feita pelo fotógrafo Alfred Eisenstaedt em 14 de agosto de 1945, na Times Square em Nova York. As pessoas celebravam a rendição dos japoneses, fato importante que resultaria no fim da Guerra. Na foto, um marinheiro beija uma enfermeira de forma cinematográfica. A foto na época foi usada para acalmar os ânimos dos americanos após o incidente de Pearl Harbor. Apesar da elegância da foto, muitos debatem sobre o consentimento do beijo por parte da mulher.

11 – Escape de Fogo, Stanley Forman, 1975

fotos-mais-impactantes-do-mundo_11

No dia 22 de julho de 1975, um prédio em chamas na Marlborough Street, em Boston, rendeu uma das fotos mais marcantes da História. Diana Brant de 19 anos e sua afilhada, Tiare Jones, tentavam fugir do incêndio pela escada de emergência quando o fogo destruiu essa escada fazendo com que as duas caíssem.

O fotógrafo Stanley Forman, que trabalhava no jornal Boston Herald, foi enviado para o local do incidente e registrou essa foto que lhe rendeu o Prêmio Pulitzer de 1976. Diana morreu na queda, sua afilhada, Tiare, caiu em cima do corpo de Diana e sobreviveu. A foto do caso fez com que as autoridades de Boston repensassem as técnicas de salvamento em incêndios bem como as estruturas de emergência.

12 – O Homem na Lua, Neil Armstrong, NASA, 1969

O Homem na Lua, Neil Armstrong, NASA, 1969

O homem conseguiu chegar na Lua em 20 de julho de 1969, e todos conhecem esse homem: Neil Armstrong. Mas ele não foi único: Buzz Aldrin, que tirou uma das fotos mais conhecidas do mundo, também estava lá e foi um dos primeiros homens a pisar na Lua.

13 – Pilares da Criação, NASA, 1995

fotos-mais-impactantes-do-mundo_13

Esta é um dos registros mais famosos de fora do Sistema Solar. Esta incrível cena, foi registrada pelo telescópio Hubble, que estava no ônibus espacial Atlantis em uma missão espacial em 1995.

A foto mostra três colunas de gás na Nebulosa de Águia, um aglomerado estrelar localizado na constelação de Serpens Cauda, a cerca de 6.500 anos-luz da Terra.

14 – Guerrilheiro Heroico, Alberto Korda, 1960

fotos-mais-impactantes-do-mundo_14

O guerrilheiro argentino Ernesto Guevara, mais conhecido como Che Guevara, sem dúvidas, é um ícone mundial da luta anti-imperialista e da resistência.

A foto intitulada de “Guerrilheiro Heroico” foi tirada por Alberto Korda, em 5 de março de 1960 em Havana, capital de Cuba, durante um memorial das vítimas do atentado terrorista contra o navio francês La Coubre, que desembarcava no porto de Cuba. A fotografia foi publicada somente 7 anos depois de ter sido tirada, e o fotógrafo disse que Che mostrava “imobilidade, raiva e dor”. Na época o guerrilheiro tinha 31 anos. A foto perdura até os dias de hoje como símbolo máximo de rebelião e justiça social.

15 – Mãe Migrante, Dorothea Lange, 1936

fotos-mais-impactantes-do-mundo_15

A foto foi tirada na época de Grande Depressão que o mundo passava na década de 1930. Ela recebeu o nome de “Mãe Migrante” pela autora da foto, Dorothea Lange, e causa um grande impacto emocional.

A mulher fotografada era Florence Owens Thompson, que na época tinha 32 anos e 7 filhos. Ela estava em um acampamento destinado a acolher pessoas em pobreza extrema e lutava contra a fome. Essa foto exalta a força das mulheres durante a Grande Depressão.

16 – Domingo Sangrento, H.S. Wong, 1937

fotos-mais-impactantes-do-mundo_16

A Guerra Sino-Japonesa, que durou de 1931 a 1945, foi uma das mais sangrentas e horríveis do Planeta. Uma foto mostra bem o horror causado pela guerra. Foi a foto feita em 1937 por H.S. Wong, que registrou os danos de um ataque aéreo japonês em Xangai, o que ficou conhecido como Batalha de Xangai.

Na foto, podemos ver um bebê ferido nas ruínas da Estação Ferroviária do Sul de Xangai. Essa imagem gerou revolta e indignação do ocidente contra os japoneses.

17 – O Garoto Albino, Biafra, Don McCullin, 1969

fotos-mais-impactantes-do-mundo_17

Esta foto é uma das mais chocantes sobre fome e a pobreza extrema no mundo. Tirada na República da Biafra, um estado secessionista do sudeste da Nigéria que existiu por cerca de 3 anos. Na imagem, um menino negro albino, extremamente magro devido ao raquitismo choca as pessoas. Segundo o fotógrafo Don McCullin “outras crianças famintas estavam caindo mortas na cena”.

18 – Selfie do Oscar, Bradley Cooper, 2014

fotos-mais-impactantes-do-mundo_18

Nem todas as fotos da lista são de imagens chocantes. Uma selfie com Brad Pitt, Julia Roberts, Jennifer Lawrence, Channing Tatum, Kevin Spacey, Angelina Jolie, Lupita Nyong’o foi retweetada 3,38 milhões de vezes, entrando para a lista da TIMES.

19 – O Desastre de Hindenburg, Sam Shere, 1937

fotos-mais-impactantes-do-mundo_19

No dia 6 de maio de 1937, o dirigível Hinderburg explodiu na cidade de Lakehurst, próximo a Nova York. O maior zepelim do mundo, que tinha 245 metros de comprimento, 41,5 metros de diâmetro, voava a 135 km/h, explodiu devido a um vazamento de hidrogênio e deixou 35 pessoas mortas. O fotógrafo Sam Shere, registrou o momento exato da explosão, o que tornou a foto uma das mais chocantes do mundo.

20 – Menino Judeu se rende em Varsóvia, 1943

fotos-mais-impactantes-do-mundo_20

Essa é uma das fotos mais marcantes do Holocausto sofrido por judeus durante a Segunda Guerra Mundial, com um garoto de 7 anos se rendendo para as tropas nazistas, junto com outros judeus num gueto de Varsóvia, na Polônia.

Os judeus da foto participaram do Levante de Varsóvia, um ato de resistência. A foto de autoria desconhecida foi reproduzida várias vezes em livros, revistas e jornais.

21 – Dalí Atomicus, Philippe Halsman, 1948

fotos-mais-impactantes-do-mundo_21

Essa é uma foto impressionante que mostra o extremo domínio da técnica por parte do fotógrafo Philippe Halsman.

Em 1948, não existiam retoques digitais nem mesmo programas de edição de imagem. Inspirado em “Leda Atômica”, uma pintura de Salvador Dalí, quis criar uma foto onde cada elemento estivesse suspenso no espaço sem se tocar. Halsman e Dalí trabalharam durante uma semana no estúdio de Halsman, que ficava em Nova York. Tanto trabalho rendeu uma das fotos mais malucas e impressionantes da História.

No Mês das Mães, Flamboyant promove exposição fotográfica “Quando nasce o amor…” por Veruska Toledo

FatoMaisBanner 09 - Avai Correa
Coletânea com 40 imagens inspiradas em newborn pode ser conferida de 1º a 15 de maio

O newborn, modalidade de fotografia que retrata os primeiros dias de vida dos bebês, encanta pela beleza, criatividade e sentimentos positivos que desperta nas pessoas. A tendência foi escolhida pelo Flamboyant Shopping Center para homenagear as diversas fases da maternidade, na exposição fotográfica “Quando nasce o amor…” por Veruska Toledo.

ExposiçãoQuandoNasceAmor.
Entre os dias 1º e 15 de maio, o público poderá conferir na Expansão – Piso 3, mais de  40 imagens, em dimensões variadas, desde 30x40cm a 50x75cm. A proposta é convidar para uma imersão ao universo singular da maternidade, com seus sentimentos traduzidos em fotografias e textos. Na exposição, o público poderá conferir técnicas precisas de newborn, com bebês em poses incríveis, em momentos de sono profundo e revelador. Dentre as várias seleções, promete chamar atenção dos visitantes, a pose do sapinho, que exige do fotógrafo conhecimento da anatomia do recém-nascido para posicioná-lo com segurança.

ExposiçãoQuandoNasceAmor

Fruto de um trabalho de dois meses, a coletânea contempla momentos especiais de 28 famílias em fases como gestação e momentos íntimos dos bebês. “Desejamos despertar emoção através de belíssimas imagens. As frases escolhidas para acompanhar as telas prometem levar os visitantes a um mergulho mágico, sempre permeando o nascimento de seres tão amados”, destaca Veruska.

ExposiçãoQuandoNasceAmor

Apostando em interatividade para celebrar com as mamães, no dia 7 de maio, algumas clientes poderão agendar uma foto profissional e também levar a imagem como lembrança.

Sobre Veruska Toledo

A goiana Veruska Toledo é fotógrafa, especialista em newborn e gestante. Referência nacional, possui selos importantes como os concedidos pela Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém Nascidos (ABRN), Best Newborn Photographer (BNP/INP) e National Association of Professional Child Photographers (NAPCP). Além de promover cursos próprios sobre newborn, atua como palestrante e conferencista em eventos da área, sendo também responsável por cliques de toda a família em eventos especiais.

Veruska_Toledo

Serviço:
Exposição fotográfica “Quando nasce o amor…” por Veruska Toledo
Onde: Flamboyant Shopping Center – expansão Piso 3.
Quando: de 1º a 15 de maio.
Entrada franca
Informações: 3546-2016

Olhar fotográfico é pauta de palestra na cidade de Goiânia

WA ImagemBanner 09 - Avai Correa

Referência no mercado de fotográfico brasileiro, o curador Diógenes Moura vem à Goiânia ministrar palestra e workshop sobre o olhar fotográfico, entre os dias 15 e 17 de abril.​

diogenes moura

Escritor, jornalista, roteirista, editor e curador de fotografia. No universo da fotografia, seu trabalho já lhe rendeu o prêmio de Melhor Curador de Fotografia do Brasil pelo Sixpix/Fotosite, em 2009. No universo da literatura, recebeu o prêmio APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte de melhor livro de contos/crônicas com Ficção Interrompida – Uma Caixa de Curtas (Ateliê Editorial), além de outras publicações, como o mais recente Fulana Despedaçou o Verso. Diógenes Moura é expoente no mercado da fotografia brasileira e, segundo suas palavras, “só entende fotografia vendo-a como literatura”.

Livro Diógenes Moura

É traçando um panorama entre fotografia e literatura, e discutindo com o público a importância da concepção do olhar fotográfico, que o terceiro convidado do ciclo de palestras e workshops do III Projeto F/5 vem à Goiânia.

Foto- Diógenes Moura

Um dos responsáveis por reconhecer e dar importância à fotografia autoral como obra de arte no Brasil, o curador ministrará a palestra “O olhar não vê. O olhar enxerga”, na Escola de Artes e Arquitetura da PUC Goiás. A palestra será no dia 15 de abril (sexta-feira), às 20h, e possui entrada gratuita com vagas limitadas à capacidade do local.

Foto - Diógenes Moura

“Sabemos verdadeiramente como fotografar? De que forma continuaremos enxergando o outro e o que está diante dos nossos olhos? (O olhar) Não é uma questão de moda, muito menos de modismos.”, declara o artista e curador.

Nos dias 16 e 17 de abril (sábado e domingo), Diógenes aprofundará o tema em um workshop na sede da WA Imagem. A atividade, também gratuita, conta com 20 vagas previamente preenchidas através de inscrição no site da WA Imagem.

A terceira edição do Projeto F/5 ainda receberá, durante os próximos finais de semana do mês de abril, fotógrafos como João Marcos Rosa e Pio Figueiroa. Interessados podem acompanhar mais informações sobre o projeto, agenda de palestras e inscrições para os próximos workshops através do site www.waimagem.com.br.

Sobre o Projeto F/5

Realizado pela WA Imagem com o apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Goiânia, o Projeto F/5 já atingiu em suas edições anteriores cerca de mil pessoas, reafirmando, em sua terceira edição, seu compromisso com o fomento à cultura fotográfica no estado de Goiás. Nesse ano suas atividades acontecerão durante todo o mês de abril, contando semanalmente com palestras e workshops gratuitos que visam aprofundar as discussões sobre fotografia contemporânea e autoral brasileira.

SERVIÇOS:

Palestra com Diógenes Moura
Gratuito
Dia: 15 de abril (sexta-feira)
Horário: 20h
Local: Escola de Artes e Arquitetura da PUC Goiás. Auditório Marisa Roriz – Área III – Setor Universitário.
Vagas: Sujeito à lotação do local

Workshop
Gratuito
Dias: 16 e 17 de abril (sábado e domingo)
Local: WA Imagem – Rua 89-D, 79, Setor Sul
Vagas: Esgotadas

Contatos/ Assessoria de Imprensa

WA Imagem: www.waimagem.com.br / (62) 3281 2575
Wagner Araújo (Idealizador do Projeto): (62) 8111 2727
Dayanne Samayk – (Produção) (62) 3281 2575
Michely Ascari (Assessoria de Imprensa): michely.ascari@gmail.com / (62) 8321 6465

 

Qual é o papel social da fotografia?

WA ImagemBanner 09 - Avai Correa

Projeto F/5 convida a fotógrafa Nair Benedicto para debater questões da atualidade como mídia, feminismo e o papel político da fotografia brasileira.

Dando continuidade ao ciclo de palestras e workshops da terceira edição do Projeto F/5 a fotógrafa paulistana Nair Benedicto é a convidada para realizar as atividades que acontecerão entre os dias 08 a 10 de abril. Consagrada através do fotojornalismo, Nair possui um trabalho autoral voltado para as questões sociais e das minorias, trabalhando ativamente em questões indígenas e causas feministas e retratando a situação das crianças e mulheres na América Latina.

Crédito Nair Benedicto/N Imagens

Fotógrafa reconhecida internacionalmente, Nair Benedicto tem seu trabalho exposto em diversas instituições, como o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, o Museu de Arte de São Paulo e o Museu de Arte moderna de Nova York. A fotógrafa também possui diversos livros publicados, sempre trabalhando sua temática através das questões sociais.

nair benedicto

Buscando promover um debate sobre o papel da fotografia e do fotógrafo na atual situação política e social do nosso país, a artista ministra a palestra intitulada “Antes de Mergulhar”. A atividade acontecerá na sexta-feira, 08 de abril, às 20h, na Escola de Artes e Arquitetura da PUC Goiás e possui entrada gratuita e limitada à capacidade de vagas do local.

Nos dias 09 e 10 de abril, Nair realizará um workshop na sede da WA Imagem, onde aprofundará a discussão sobre o fazer fotográfico e seu papel social, discutindo questões sobre feminismo, mídia e o papel político da fotografia.

Crédito Nair Benedicto/N Imagens

“É sobre imobilidade, responsabilidade e conivência que vamos discutir. Toda profissão tem brechas para o exercício digno. Mas, só vamos ter condições de exercitá-las se estamos lendo, estudando, analisando, buscando o que estão tentando todo o tempo usurpar, nossa capacidade de reflexão”, diz a fotógrafa.

Realizado pela WA Imagem com o apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Goiânia, o III Projeto F/5 ainda receberá, durante o mês de abril, fotógrafos e curadores como Diógenes Moura, João Marcos Rosa e Pio Figueiroa. Para acompanhar a agenda de palestras e workshops, basta acessar o site www.waimagem.com.br.

Crédito Nair Benedicto/N Imagens

Sobre o Projeto F/5

Atingindo em suas edições anteriores cerca de mil pessoas, o Projeto F/5 agora está em sua terceira edição, reafirmando seu compromisso com o fomento à cultura fotográfica no estado de Goiás. Nesse ano suas atividades acontecerão durante todo o mês de abril, contando semanalmente com palestras e workshops gratuitos que visam aprofundar as discussões sobre fotografia contemporânea e autoral brasileira.

Serviços:

Palestra com Nair Benedicto
Gratuito
Dia: 08 de abril (sexta-feira)
Horário: 20h
Local: Escola de Artes e Arquitetura da PUC Goiás. Auditório Marisa Roriz – Área III – Setor Universitário.
Vagas: Sujeito à disponibilidade do local

Workshop

Gratuito
Dias: 09 e 10 de abril (sábado e domingo)
Local: WA Imagem – Rua 89-D, 79, Setor Sul
Vagas: Esgotadas

Contatos / Assessoria de imprensa:

WA Imagem: www.waimagem.com.br / (62) 3281 2575
Wagner Araújo (Idealizador do Projeto): (62) 8111 2727
Dayanne Samayk – (Produção) (62) 3281 2575
Michely Ascari (Assessoria de Imprensa): michely.ascari@gmail.com / (62) 8321 6465

Imagens de interseção entre arte e arquitetura formando composições inteligentes

Avai Corrêa-IndicadoBanner 09 - Avai Correa

Uma série de mashups visuais feitas pelo estudante italiano de arquitetura  Davide Trabucco. Duas imagens cortadas ao meio na diagonal,  que vão desde fotografias contemporâneas à pinturas históricas e são colocadas side-by-side, integrando uma à outra.

Andrea Mantegna, San Sebastiano, 1.456-1.457 vs Luigi Ghirri, Roterdão de 1973 

davide-trabucco-conformi-designboom-02

George Lucas, Star Wars: Episódio IV – Uma Nova Esperança, 1977 vs. Dan Flavin, sem título (a virginia dwan), 1971

davide-trabucco-conformi-designboom-01

Caravaggio, A Vocação de São Mateus, 1599-1600 vs Luigi Ghirri, Campegine de 1986

davide-trabucco-conformi-designboom-03

SANAA, Centro de Aprendizagem Rolex, Lausanne, 2004-2010 vs. Paolo Scheggi, intersuperficie curva branca de 1969

davide-trabucco-conformi-designboom-04

Ludwig Mies van der Rohe – História Museu de Chicago vs. Edouard Manet, um bar no Folies-Bergère, 1881-1882

davide-trabucco-conformi-designboom-05

David Gandy, Dolce & Gabbana – campanha publicitária de 2007 vs. Fauno Barberini, Glyptothek, 220 AC

davide-trabucco-conformi-designboom-06

Robert Venturi, Denise Scott Brown, Steven Izenour, Aprendendo com a Las Vegas, 1972 vs. Caspar David Friedrich, Andarilho Acima do Mar da Névoa, 1818

davide-trabucco-conformi-designboom-07

Piero della Francesca, Pala di Brera, 1469-1474 vs. Francis Bacon, retrato de George Dyer, 1966

davide-trabucco-conformi-designboom-08

Curzio Malaparte, villa Malaparte, 1937-1943 vs. Davidson Carolyn, NIKE Swoosh, 1971

davide-trabucco-conformi-designboom-09

Marina Abramovic, O Artista Presente no MOMA, 2010 vs Julian Wasser, Duchamp, Jogando Xadrez Com Om Nu (Eve Babitz), Museu de Arte de Pasadena 1963

davide-trabucco-conformi-designboom-010

Walter de Maria, Sala Com Terra, New York, 1977 vs. Olafur Eliasson, Leito do Rio, Museu de Arte Moderna de Louisiana, 2014

davide-trabucco-conformi-designboom-011

Frank Gehry, Casa de Hóspedes Winton, 1983-1987 vs. Giorgio Morandi, Natura Morta de 1956

davide-trabucco-conformi-designboom-012

Carlo Scarpa, Abatellis Palazzo, Galleria Regionale di Sicilia, Palermo, 1953-1954 vs. Mark Rothko, sem título de 1969

davide-trabucco-conformi-designboom-013

10 motivos pelos quais as fotos de uma câmera fotográfica vão muito além das de um celular

HypenessBanner 09 - Avai Correa

Não tem coisa mais decepcionante do que voltar de uma viagem ou de um evento para o qual você se preparou por meses e ver que as milhares de fotografias tiradas por lá ficaram horríveis.

É, nem sempre adianta gastar o dedo clicando imagens com o seu celular: algumas vezes pode valer a pena investir em uma boa câmera, capaz de capturar as imagens do jeitinho que você queria. Sabe qual a diferença?Canon1_interna

1. Fotos em qualquer horário

Quase todo mundo já tentou e quase todo mundo já desistiu de fotografar à noite usando apenas o celular. A única saída acaba sendo usar o flash e ter como resultado uma foto com uma luz estourada… Já as câmeras fotográficas oferecem muitas possibilidades nesse sentido e permitem que você registre fotografias incríveis em qualquer horário do dia – aqui tem dicas para acertar na iluminação ao registrar retratos noturnos. Assim, você não precisa contar com a sorte – e com o tempo bom – para ter os melhores registros.

2. Capture o movimento

Se você alguma vez já tentou fotografar uma cena em movimento com seu celular, provavelmente já percebeu que essa é uma missão quase impossível. Com uma câmera fotográfica, a tarefa passa a ser simples e você só precisa configurar alguns pontos para capturar a imagem perfeita. O tutorial abaixo ensina como fazer isso:

3. Imagens mais estáveis

Quem gosta de registrar fotografias de longa exposição sabe a importância de uma câmera com estabilizador de imagens. Ele te ajuda a evitar os borrões e a tirar fotos mais nítidas e sem imperfeições decorrentes de movimentos involuntários.Canon2

4. Disparo contínuo

Alguns aplicativos para celular já permitem que você realize disparos contínuos enquanto fotografa alguma cena. Mas, para que isso seja possível, eles sacrificam a qualidade das imagens. Com uma câmera como a Canon EOS Rebel T5i em mãos, é possível acionar o modo de disparo contínuo, que captura até 5 fotos por segundo em alta qualidade.

5. Filme com qualidade

É claro que seu celular vai ser perfeito para registrar aquele vídeo engraçado que você gravou só para enviar para um amigo por Whatsapp e irá apagar cinco minutos depois. Mas, se quiser filmar um momento para rever ao longo dos anos, vai ser preciso de uma boa câmera, capaz de capturar os detalhes da cena. Vale para o casamento do seu melhor amigo ou para aquela viagem que você fez questão de registrar cada minuto.

6. Armazenamento

No celular, suas fotos estão competindo por espaço com diversos aplicativos, jogos, seus e-mails, músicas que você ouve através do aparelho e toda a sorte de arquivos. Não é incomum acontecer da memória simplesmente não dar mais conta e você perceber que não cabe mais nada ali dentro. Com uma câmera fotográfica isso não irá acontecer, já que o espaço para suas fotos será destinado só para elas (e você sempre poderá ter um cartão de memória extra caso queira registrar muitas fotografias em um mesmo dia).

Canon1

7. Mais lentes, mais liberdade

Câmeras DSLR oferecem a opção de troca de lentes, o que permite que você utilize o equipamento adequado para cada registro. Algumas lentes podem ser mais indicadas para quem pretende registrar um retrato, por exemplo, enquanto outras são perfeitas para aquela paisagem de tirar o fôlego. Saber escolher entre elas é uma arte e também um bom motivo para explorar ainda mais as potencialidades da sua câmera.

8. Tamanho do sensor

Quanto maior o sensor de uma câmera, maior será a sua sensibilidade à luz. Isso acontece porque sensores maiores oferecem mais espaço para cada pixel, permitindo que as fotos ganhem uma maior riqueza de detalhes.

9. Bateria que não te deixa na mão

Dizem por aí que o homem já chegou na Lua, mas ainda não conseguiu criar uma bateria de celular que dure tanto quanto a gente gostaria. E, se você sair para fotografar com o seu smartphone por aí, a chance de sua bateria acabar bem no momento de mais inspiração é bem grande. Com uma câmera fotográfica você fica livre desse perrengue e pode fotografar o dia inteiro sem medo de ficar na mão.

10. Foco no que interessa

Sabe quando o que você quer é registrar um ponto, mas o que está ao fundo não tem nenhum interesse para a imagem? Quem fotografa com o celular não tem muitas opções para se livrar disso, a não ser recorrer a uma edição posterior, mas quem opta pela câmera fotográfica sabe que é super fácil desfocar o fundo de uma imagem e evitar registrar cenas constrangedoras, como mostra o vídeo abaixo:

Uma boa dica para quem já decidiu aposentar o smartphone dessa tarefa, mas não sabe qual câmera escolher é conhecer as opções oferecidas pela Canon, como a EOS Rebel T5i, que oferece todas essas possibilidades e mais algumas.

A marca também busca auxiliar quem está aprendendo a fotografar através de dicas e tutoriais disponíveis na plataforma de ensino Canon College, onde você vai descobrir como conseguir diferentes efeitos explorando todo o potencial de sua câmera.

No vídeo abaixo, por exemplo, você confere o funcionamento da EOS Rebel T5i:

As fotografias verticais panorâmicas das Igrejas de New York por Richard Silver

Avai Corrêa-IndicadoBanner 09 - Avai Correa

Richard Silver tem uma maneira original de olhar a arquitetura, a construção de fotografias compostas de diversas imagens que revelam perfeitamente de uma estrutura interior. Sua nova série captura o interior das igrejas de Nova York, e são perfeitamente programadas para iminente chegada do Papa em solo americano. Estas imagens são compostas de 6 a 10 cliques, formando um panorama vertical, de forma coesa, que pode te dar vertigem.

+info: Calvary-Episcopal-Church1 church-4 church-6 church-21 Church-of-St.-Francis-Xavier1 Church-of-St-Vincent-Ferrer1 St-Monicas-Church1www.richardsilverphoto.com/

Paris sobreimpressa

Avai Corrêa-IndicadoBanner 09 - Avai Correa

O artista fotográfico Jeremiah Dru é arquiteto por formação e ele trabalha com fotografias de viagens nas cidades, atuando principalmente em Paris. Ele usa a sobreposição, uma técnica para a captura de um espaço-tempo maleável. Isto envolve fotografar várias vezes no mesmo negativo, e, portanto, permite fundir eventos independentes um no outro coerentemente. Usando esta técnica, Dru Jeremias usa a fotografia como ferramenta de interpretação aberta, e apresenta uma pesquisa sobre o possível e os lugares reais que habitamos.

+info: jeremiedru.com/

8388709712_f9ed1db9e6_b_840 beaubourg_670 cadet-5_670 ERRE_670 essai-1 Euro-2_670 med_670_670 metro mult_1 mult_8 mult_9 Palais-Royal-Paris_670 rivoli670_670 ttttt_670 u_670 U-2 Wall_670 Wall-2_590

 

Fotos históricas são transformadas em imagens mágicas e coloridas

Up To Date or DieBanner 09 - Avai Correa

Por Paula Romano.

Colorir fotos em preto e branco é uma excelente maneira de revisitar o passado e compreender a história. Jane Longo, um fotógrafo australiano, transformou e adicionou um pouco de magia a uma coleção de imagens do artista romeno Costica Acsinte.

Acsinte, que morreu em 1984, era um fotógrafo de guerra romeno que atuou durante a Primeira Guerra Mundial. Em 2013, suas fotos danificadas foram digitalizadas pelo Costica Acsinte Archivepara preservá-las, e foi nesta coleção que Longa baseou-se para criar esta maravilhosa série que você confere a seguir.

Jane-Long1 Jane-Long2 Jane-Long3 Jane-Long4 Jane-Long5 Jane-Long6 Jane-Long7 Jane-Long8 Jane-Long9 Jane-Long10 Jane-Long11 Jane-Long12 Jane-Long13 Jane-Long14