Goiânia recebe turnê inédita da companhia Ballet Nacional da Rússia

Por FatoMais Comunicação

Pela primeira vez no Brasil, a companhia Ballet Nacional da Rússia Renascimento, considerada uma das companhias de dança mais respeitadas no mundo, apresenta o espetáculo “Romeu e Julieta”. Com 30 bailarinos em cena, o clássico de William Shakespeare será exibido no dia 11 de novembro, às 20h, no Teatro Rio Vermelho. A apresentação será dividida em dois atos, com duração total de 1h45 e intervalo de 15 minutos.

Romeo-i-Dzhuletta-Russkij-Balet-27

A direção artística da peça é de Tatiana Panteleeva, que também já atuou como primeira bailarina do grupo durante três anos. O destaque em palco fica por conta de Yulia Anufrieva, primeira bailarina do Russian Stars Ballet Theatre e vencedora de diversos prêmios, e Vasily Kozlov, principal solista do Russian Stars Ballet Theatre e artista de mérito da Federação Russa.

Romeo-i-Dzhuletta-Russkij-Balet-22

Formada por bailarinos talentosos entre 17 e 29 anos, a companhia nacional de ballet russo foi fundada em 1998 pelos coreógrafos, professores e tutores Valery Anuchin Kondraleevoy Alsu e Sergey Chernobrovkina. Ao longo dos últimos anos, o grupo realizou turnês por todo o mundo, sempre com grande sucesso de público e crítica. As apresentações foram exibidas em prestigiadas salas de países como os Estados Unidos, Chile, Argentina, Israel, Espanha, Suíça, Áustria, Croácia, China, Índia, Finlândia e França (participação no Festival de Cannes), entre outros.

Romeo-i-Dzhuletta-Russkij-Balet-12

O espetáculo da National Ballet of Russia está em turnê inédita por vários países da América Latina e América do Sul. No Brasil, as cidades que irão receber a apresentação são Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Campinas.

O Ballet coopera com as estrelas do Teatro Acadêmico Bolshoi da Rússia, o Teatro Stanislavsky e Nemirovich-Danchenko, que contam com coreógrafos de classe mundial para a formação de novos talentos.

IMG_2917

Direção Artística

Tatiana Panteleeva

Graduada em 2006 pela Academia de Dança Clássica de Moscou.

Trabalhou de 2006 a 2009 como primeira bailarina do “Teatro Nacional de Ballet de Rússia”, viajando com a companhia para apresentações em países como os Estados Unidos da América, China, Coreia do Sul, Austrália, México, França, Alemanha, Bélgica, Polônia e Holanda.

Primeiros Bailarinos

Yulia Anufrieva

Primeira bailarina do Russian Stars Ballet Theatre.

Vencedora do Prêmio “A Pérola de Nizhny Novgorod”, vencedora do prêmio “O sucesso da criação” (Federação Russa) por seu papel como Cinderela de Prokofiev no balé “Cinderela”.

Em 2003, ela se formou no Ballet de Nizhny Novgorod (classe de O. Rezepinoy).

Com a companhia participou de turnês na Itália, Estados Unidos, China e Espanha. Como estrela convidada participou de turnês na Rússia e exterior com o Ballet Nacional da Rússia Renascimento, Novo Clássico Ballet, Ballet Chuvash e outras companhias.

Vasily Kozlov

Principal solista do Russian Stars Ballet Theatre.

Artista de Mérito da Federação Russa, laureado com o Prêmio “A Pérola de Nizhny Novgorod”

Desde 2000 ele trabalha no Teatro Acadêmico de Ópera e Ballet de Nizhny Novgorod, em homenagem a A. Pushkin, como solista de balé.

Como convidado, fez turnê no exterior e na Rússia com o Ballet Nacional Russo, o New Classical Ballet e outras empresas privadas.

Serviço

Ballet Nacional da Rússia Renascimento apresenta “Romeu e Julieta”

Local: Teatro Rio Vermelho

Data e horário: dia 11 de Novembro, domingo, às 20h

Valor do ingresso:

50% de desconto na inteira para clientes Unimed

Plateia inferior

*Setor VIP (fila de A a N)

Inteira – R$ 240 / Meia – R$ 120

*Setor B (fila de O a T)

Inteira – R$ 180 / Meia – R$ 90

Plateia superior

Inteira – R$ 100 / Meia – R$ 50

Vendas:

Komiketo da Av. T-4 (St. Serrinha)

Armazém do Livro (da Av. Goiás e da Av. T-63)

Pelo site: www.eventim.com.br

Informações: 3219-3300/3219-3400

Classificação etária: livre

Com Débora Falabella e Yara de Novaes, CONTRAÇÕES estará em Goiânia

Por Fato Comunica 

Sucesso absoluto de crítica e de público, a versão do Grupo 3 de Teatro para Contrações, do dramaturgo inglês Mike Bartlett, estará no Teatro Madre Esperança Garrido, em Goiânia, dia 11 de novembro, domingo, realizando duas apresentações, às 18h30 e às 20h30. Com direção de Grace Passô, o espetáculo conquistou os prêmios APCA, APTR, Questão de Crítica e Aplauso Brasil, e, só na capital paulista, já foi encenado no Centro Cultural Banco do Brasil (2013), Itaú Cultural, Teatro Porto Seguro (2015), Teatro Shopping Frei Caneca (2016) e no Auditório do Ibirapuera (2017 – Mostra Petrobras Premmia de Teatro) e mais recentemente, no Festival Teatro Vivo.

Foto - Crédito Vitor Zorzal

Com Débora Fallabella e Yara de Novaes no elenco, que acabaram de encerrar uma temporada de Love, Love, Love (também de Batlett) no Teatro Vivo, a obra cruelmente engraçada demonstra a faceta mais absurda de uma situação comum de trabalho. No escritório de uma grande corporação, a gerente solicita que a funcionária Emma leia em voz alta uma cláusula do contrato que proíbe aos colaboradores qualquer relação sentimental ou sexual com outro colega da empresa. Nos encontros seguintes, a gerente libera suas diferentes facetas para manipular Emma. Para manter seu emprego, a empregada acaba por se render e danifica sua vida privada.

Foto - Crédito Jonas Golfeto 2

Parceiros criativos constantes do coletivo Grupo 3 de Teatro, Silvia Gomez assina a tradução do texto, Morris Picciotto é o autor da trilha original e André Cortez criou cenário e figurino desta montagem. A companhia foi fundada pelos artistas mineiros radicados em São Paulo Débora Falabella, Yara de Novaes e Gabriel Fontes Paiva, que atualmente assinam a direção artística do Grupo.

C

O processo de criação de Contrações

Durante o mês de abril de 2013, a equipe criativa de Contrações viajou por oito cidades do interior paulista e expôs seus ensaios para plateias de aproximadamente 400 pessoas por cidade. A peça foi construída e modificada com a presença do público, em um processo criativo exposto no qual, ao fim de cada apresentação, a plateia podia colocar suas impressões e opiniões sobre o texto e a montagem. Ao todo, os ensaios foram vistos por aproximadamente 3.000 pessoas. “Foi uma das experiências mais ricas que tivemos em nossa trajetória. Pude verificar o que já tinha percebido na primeira leitura, que o texto do Bartlett é preciso, objetivo e comunica de imediato com o espectador. Além disso, essa experiência influenciou diretamente a construção do espetáculo. O público direcionou o caminho que deveríamos seguir”, comenta Gabriel Paiva.

Repercussão

 “Poderia me restringir a enumerar os vastíssimos recursos expressivos de Débora Falabella e Yara de Novaes – vozes maravilhosas, a expressividade que impõem aos gestos, capacidade de entrega, inteligência cênica, poderosa contracena e assim por diante. No entanto, diante do assombro que me causaram, ouso supor que exista algo de intangível em suas performances, que transcende, como já dito, meras considerações técnicas. Mas, o que seria? Sinceramente, não sei”, escreveu Lionel Fischer, crítico teatral, após assistir uma sessão no CCBB Rio.

“Grace faz uma direção exata, delicada e também generosa – porque é focada no trabalho das duas atrizes no palco. A direção ainda demonstra evidente noção do conjunto e dialoga o tempo todo com a trilha de Morris Pocciotto – executada ali, ao vivo, detrás das atrizes e até por uma delas – e ainda se comunica dialeticamente com o cenário e figurino de André Cortez, que exibe a sofisticação de mãos dadas com um agonizante vazio na alma, explicitado também na iluminação de Alessandra Domingues. (…) As duas atrizes têm química, uma cumplicidade cênica perceptível até mesmo quando suas personagens se distanciam cada vez mais”, escreveu Miguel Arcanjo Prado, jornalista e crítico da APCA.

Sobre Mike Bartlett

Com apenas 37 anos, o dramaturgo inglês Mike Bartlett é considerado um dos mais expressivos autores do teatro contemporâneo. Ganhador de importantes prêmios – como o Laurence Olivier Award e Imison Award –, Bartlett coloca o foco em seu teatro no duelo entre o homem e os padrões de conduta exigidos e marcados pela sociedade. Com uma intensidade sombriamente engraçada, o autor debruça-se, entre outros temas, sobre questões como o fim do casamento, o abuso sofrido por funcionários nas grandes corporações e a sexualidade. Trabalhando continuamente desde 2002, entre suas principais obras estão: MyChild (2007), Contractions (2008), Cock (2009), Love,Love,Love (2010) e “13” (2011).

Débora Falabella | Atriz | Grupo 3 De Teatro

Filha do ator e diretor de teatro Rogério Falabella, Débora descobriu cedo a sua vocação; aos 12 anos já atuava em peças de teatro amador em BH. No Rio de Janeiro ficou conhecida por atuações arrebatadoras em novelas como O Clone e Avenida Brasil. No cinema fez o curta metragem Françoise, de Rafael Conde, que lhe rendeu prêmio de melhor atriz no Festival de Gramado e no Festival de Brasília, e nos longas Dois perdidos numa noite suja (prêmio melhor atriz no Festival de Brasília), de José Joffily, Lisbela e O Prisioneiro, de Guel Arraes e Cazuza – O tempo não para, de Sandra Werneck e Walter Carvalho. Além da vitoriosa trajetória em TV e cinema esteve no palco nos últimos quinze anos participando de espetáculos teatrais onde recebeu prêmios de melhor atriz: Troféu USIMINAS/SINPARC e Prêmio SATED-MG. Atualmente excursiona com o espetáculo Contrações que lhe rendeu 3 prêmios como melhor atriz (APCA; APTR e Aplauso Brasil).

Yara De Novaes | atriz | Grupo 3 de Teatro

Atriz, diretora e professora de teatro fundou em 2005 o Grupo 3 de Teatro, onde alterna seus trabalhos de atriz e diretora, além da direção artística da companhia. Dirigiu como convidada 17 espetáculos nos últimos 12 anos entre eles Tio Vania do Grupo Galpão, Caminho para Meca, com Cleyde Yaconis e Maria Miss, com adaptação da obra de Guimarães Rosa. Como marca de suas direções, além de um forte trabalho corporal, tem a narrativa como ponto de partida para a criação teatral. Já levou aos palcos autores como Fiodor Dostoievski, Fernando Bonassi, Móricz Zsigmond, Lygia Fagundes Telles, Murilo Rubião e Guimarães Rosa, entre outros. Trabalhou nas universidades PUC-Minas, UNI-BH e UFPE, ministrando disciplinas na área de interpretação teatral. Atualmente excursiona com o espetáculo Contrações pelo qual recebeu o prêmio APCA de melhor atriz em 2013 e leciona a disciplina Teatro na Fundação Armando Alvares Penteado.

Sobre O Grupo 3 De Teatro

Fundado em 2005, o grupo é composto por Débora Falabella, Gabriel Paiva e Yara de Novaes. Realizador das bem-sucedidas montagens teatrais “A Serpente”, de Nelson Rodrigues, dirigida por Yara de Novaes e “O Continente Negro”, de Marco Antônio de La Parra, dirigido por Aderbal Freire Filho. Espetáculos que mantêm em repertório. Além de “Contrações e “O Amor e Outros Estranhos Rumores”.

O Grupo 3 de Teatro atua como produtor em outros segmentos da cultura, como as  mostras “Murilo Rubião – o Reescritor Fantástico” (SESC Paladium e UFMG) e “Mostra Contemporânea de Arte Mineira” (SESC Pompeia e Vila Mariana) e da publicação do livro “O Continente Negro”, tradução para o português do texto dramatúrgico do chileno Marco Antonio De La Parra.  Frequentemente, a companhia estende seu treinamento com oficinas abertas, promovendo o encontro e o diálogo com outras companhias, como quando produziu a oficina “Dramaturgia e Espaço”, ministrada pelo chileno Marco Antonio De La Parra e “View Point”, por Myriam Rinaldi.  Ainda no campo pedagógico, o grupo compartilha com estudantes de teatro seu processo de criação com oficinas ministradas por integrantes do grupo: A Cena Teatral e Murilo Rubião, Teatro TUCA, ministrados por Yara de Noves, André Cortez e Silvia Gomez, e Espaço Dramaturgia e Atuação – por André Cortez e Yara de Novaes.

O Grupo 3 de Teatro tem sistematicamente criado ações de acessibilidade a novas plateias. Nesse intuito, realizou temporadas e circulação a preços populares ou simbólicos em São Paulo (2008, 2010 e 2011), Rio de Janeiro (2009), Belo Horizonte (2011), Fortaleza, Recife, Maceió, Aracaju e Salvador (2010), Santos, Piracicaba e Araras (2010). E apresentações gratuitas com palestras e debates em 10 periferias de São Paulo e nas periferias das cidades de Campinas, São José dos Campos e Guarulhos, de modo a proporcionar à população de diferentes regiões do país acesso aos seus espetáculos. O grupo desenvolve um trabalho contínuo de formação de novas plateias, por meio de apresentações em periferias, unidades dos CEUs e MADRE ESPERANÇA GARRIDOs, acompanhados de palestras e oficinas.

Sobre a Vivo e a Cultura

A Vivo, líder em telecomunicações no Brasil, acredita no teatro como elemento de conexão entre as pessoas. Ao longo dos últimos 14 anos, mais de 1 milhão de espectadores em todo o País, prestigiaram os projetos patrocinados pela empresa.  Por meio do Teatro Vivo, em São Paulo, sua principal frente de apoio à cultura brasileira, a empresa oferece ainda um espaço de qualidade, com programação variada, criativa e independente. Um palco que acolhe tanto atores já consagrados como novos artistas.

Redes:

facebook/grupo3deTeatro

instagram/grupo3deteatro

Sinopse

A ação se passa em um único espaço: o escritório de uma grande corporação. A gerente convoca e solicita a Emma, sua funcionária, que leia em voz alta uma cláusula do contrato que proíbe aos funcionários qualquer relação sentimental ou sexual com outro empregado da empresa. Nos encontros seguintes, a gerente, amparada pelo poder que tem, libera suas diferentes facetas para manipular Emma.

Ficha Técnica

Texto: Mike Bartlett.

Tradução: Silvia Gomez

Direção: Grace Passô.

Elenco: Débora Falabella e Yara de Novaes.

Cenário e Figurinos: André Cortez.

Luz: Alessandra Domingues.

Trilha Sonora: Morris Picciotto.

Assistente Administrativo: Rogério Prudêncio.

Produção Executiva: Heloisa Andersen

Coordenação de Projetos: Luana Gorayeb.

Direção de Produção: Gabriel Paiva.

Idealização: Grupo 3 de Teatro

Patrocínio: VIVO

SERVIÇO

Contrações

de Mike Barlett, com direção de Grace Passô

Local: Teatro Madre Esperança Garrido

Endereço: Avenida Contorno, 63 – Setor Central – Goiânia – GO

Data e horário: 11/11, Domingo, às 18h30 e 20h30.

Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia-entrada).

50% de desconto para Clientes Vivo Valoriza.

Vendas:

Vendas online: www.tudus.com.br

Ponto de Venda: Komiketo da T-4 (St Serrinha)

Telefone: (62) 3212-3531

Capacidade do teatro: 785 lugares

Duração: 80 minutos

Classificação: 14 anos

Brasil muito perto de garantir o décimo título mundial da PBR

Por Palavra Comunicação

Ranking da maior organização de montaria em touros do mundo tem brasileiros nas cinco primeiras posições. Kaique Pacheco lidera com quase dois mil pontos de vantagem para segundo colocado

PBR Montaria

Foi disputada neste fim de semana a penúltima etapa do Mundial da Professional Bull Riders (PBR), maior liga de montaria em touros do mundo, e o Brasil brilhou, mais uma vez, na competição. Kaique Pacheco foi o terceiro colocado na etapa de Greensboro, na Carolina do Norte, Estados Unidos, atrás dos americanos Matt Triplett e Cannon Cravens, e abriu quase dois mil pontos de vantagem para o segundo colocado no ranking mundial, o também brasileiro Cláudio Montanha Jr.

José Vitor Leme, Luciano de Castro e Ramon de Lima, quarto colocado em Greensboro, completaram o top 5 do ranking mundial. A principal ameaça ao título brasileiro é Cooper Davis, que já foi campeão mundial, e está em boa fase. Nada que tire a empolgação de um dos maiores ídolos do esporte.

PBR Peão

“Este ano, a fivela de campeão volta para o Brasil. O Kaique já esteve muito perto do título uma vez, e agora chegou o momento dele. Vamos torcer para que tudo corra bem e o Brasil conquiste o título pela décima vez”, disse Adriano Moraes, tricampeão mundial e diretor-técnico da PBR Brasil.

O Brasil se destaca pela tradição no esporte. É o único país a ter dois tricampeões, Adriano Moraes (19994/2001/2006) e Silvano Alves (2011/2012/2014), nos 24 anos em que é disputada a decisão mundial. Além deles, foram campeões mundiais Ednei Caminhas (2002), Guilherme Marchi (2008) e Renato Nunes (2010). No ano passado, o Brasil teve oito competidores entre os finalistas internacionais.

Leonardo Machado, Bruno Scaranello e Fernando Henrique, atletas do PBR, estarão na etapa de Goiânia em dezembro

A grande decisão do 25th: Unleash The Beast será em Las Vegas, no dia 11 de novembro, e terá cobertura de tudo que envolve os brasileiros na disputa pelas redes sociais da PBR Brazil (@pbrbrazil no Instagram, Facebook e Twitter). No Brasil, as duas últimas etapas, organizadas pela IMM, que vão definir o campeão do Monster Energy PBR serão em Goiânia, no dia 1º de dezembro, e em Belo Horizonte, no dia 15 de dezembro, sendo que a etapa mineira será a grande Final Brasil 2018. Os melhores colocados do ranking nacional são Fernando Novaes, Bruno Scaranello, João Ricardo Vieira, Leandro Machado (que concorre também ao prêmio de revelação do ano, o “Rookie of the year”) e Renan Almeida.

PBR Arena

Venda de Ingressos

A venda de ingressos para as etapas de Goiânia e Belo Horizonte do PBR estão abertas. Os eventos serão realizados no dia 1º de dezembro no Goiânia Arena, e no 15 de dezembro, no Mineirinho, va capital mineira. Além da programação, os horários e os preços também têm a família como foco. Todos os integrantes de uma mesma família (comprando até oito ingressos com o mesmo CPF) pagam meia-entrada, a partir de R$ 70. A competição, tanto em Goiânia quanto em Belo Horizonte, será de 19h às 22h30. Todos os ingressos estão disponíveis no site  www.tudus.com.br.

As arenas serão divididas em setores e haverá ainda cadeiras exclusivas, camarotes e o novíssimo PBR Experience, que inclui serviços de alimentação, além de um acesso exclusivo à arena no dia anterior à competição principal. A classificação etária é 16 anos, mas os menores poderão participar acompanhados dos seus responsáveis.

Presença de estrelas

Na capital goiana, o lançamento, com entrevista coletiva, foi no dia 12 de setembro, no restaurante Velho Texas. Estiveram presentes Sean Gleason, CEO da PBR; Phillipe Menezes, diretor da IMM; e Adriano Moraes, tricampeão mundial e diretor técnico da PBR, além dos atletas Leandro Machado, Bruno Scaranello e Fernando Henrique Novais, três dos melhores colocados no ranking Monster Energy PBR. Na ocasião foram divulgadas novidades para o circuito ainda este ano, projetos futuros e informações sobre a venda de ingressos, com promoção especial para as famílias.

Em 2019, o Monster Energy PBR estará em seis cidades brasileiras. Em 2020, a competição chega a dez locais, sempre com qualidade nos serviços e entretenimento para o público. Além dos eventos proprietários, o PBR mantém etapas do campeonato nos principais rodeios e festas do agronegócio no país.

“O esporte de montaria e os rodeios no Brasil têm, historicamente, sido tratados como a abertura dos shows musicais dos grandes festivais. Agora é o momento de firmarmos a marca PBR, seguindo o modelo que começamos há 26 anos nos Estados Unidos”, diz Sean Gleason, CEO da PBR.

Qualificatória para os EUA

Os eventos em Goiânia e Belo Horizonte vão contar pontos para o para o ranking mundial, qualificatório para a etapa final dos Estados Unidos, que distribui mais de um milhão de dólares em prêmios. Por isso, as etapas vão reunir alguns dos melhores competidores do Brasil, que tem muita tradição no esporte. É o único país a ter dois tricampeões, Adriano Moraes e Silvano Alves, nos 24 anos em que é disputada a decisão mundial. No ano passado, teve oito competidores entre os finalistas internacionais.

“O Brasil é um celeiro de talentos na montaria em touros. Agora é a hora do público brasileiro também ter um evento de grande porte, voltado especialmente para o esporte e poder acompanhar de perto esses grandes astros”, diz Adriano Moraes, um dos maiores nomes do esporte e diretor técnico da PBR.

Dia Internacional da Animação de Goiânia 2018

Por OlhO Comunicação 

Goiânia sedia nos dias 29, 30 e 31 de outubro o Dia Internacional da Animação de Goiânia, mostra gratuita de desenhos animados nacionais e internacionais, de variadas técnicas e estilos. O evento é uma extensão do Dia Internacional da Animação – DIA, criado em 2002 pela Associação Internacional do Filme de Animação – ASIFA, e adotado no Brasil em 2004 pela Associação Brasileira de Cinema – ABCA. O DIA é realizado em mais de 30 países.

43 - Perfect town

No Brasil, a mostra alcançará mais de 200 cidades, chegando à sua 15ª edição celebrando os 100 anos da animação brasileira, inclusive, com uma sessão histórica dedicada exclusivamente a esse tema. Conta com o patrocínio local da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) por meio da Lei Goyazes, e do apoio do Museu da Imagem e do Som (MIS), do Cine Cultura e de empresas parceiras, como a Mandrake Comic Shop, a Hocus Pocus, o restaurante Dona Fiinha e o coletivo Obsoleto. Nacionalmente, tem o patrocínio da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura por meio do Fundo Nacional da Cultura. Em Goiânia, o DIA é organizado e coordenado por Márcia Deretti, Márcio Júnior e Coelho Nunes por meio da Escola Goiana de Desenho Animado e Na Toca Produções. 

49 - Catherine

Mostras

Esse ano, o evento está composto por sete mostras e uma sessão exclusiva para as estréias de O Evangelho Segundo Tauba e Primal, de Márcia Deretti e Márcio Jr., e de A Cidade dos Piratas, de Otto Guerra. Ao todo serão 57 animações exibidas. No primeiro dia, acontecem as mostras Nacional com Audiodescrição para Deficientes Visuais, Nacional e Internacional. No segundo, é a vez das mostras Infantil, Fantástica Animação e Regional de Animações Goianas. Finalmente, no último dia, serão exibidas a Mostra Histórica: 100 Anos da Animação Brasileira e a Sessão de Estreias.

O Evangelho Segundo Tauba e Primal4

Outras atividades

Além dos filmes, a programação do DIA Goiânia conta com exposição, lançamento de livros e oficinas – estas programadas para serem realizadas entre os dias 30 de outubro e 18 de novembro. Saiba mais sobre cada atividade:

Cartaz_MACUNAÍMA (1)

1 – Lançamento do livro Teoria e Prática de um Cinema Junto ao Povo, de Jorge Sanjinés e Grupo Ukamau

O tradutor da obra, Sávio Leite, receberá no dia 29, terça-feira, os visitantes da mostra para uma sessão de autógrafos do livro que trata da teoria e da prática do cinema junto ao povo. O livro teve sua primeira edição em 1979 e, a segunda, em 1980. Foi traduzido pela primeira vez para o português por Sávio Leite e Lourenço Veloso, entre 2016 e 2017. Conta a experiência cinematográfica boliviana e os filmes feitos pelo Grupo Ukamau, tendo Jorge Sanjinés como expoente maior e as bases para um cinema social, coletivo e popular. Sanjinés nasceu em La Paz, em 1936, onde vive e trabalha. Tem em seu currículo doze longas metragens. 

O explorador de Saturno

2 – Exposição de quadrinhos originais e relançamento do livro Música para Antropomorfos

Fábio Zimbres aterrissa em Goiânia no dia 31 de outubro para participar do coquetel de abertura da exposição com os desenhos originais do livro, além de painéis e intervenções nas paredes do museu feitos especialmente para a ocasião com o tema dos quadrinhos. O livro, lançado pela Zarabatana Books em 2006, estava esgotado e será relançado na ocasião. A graphic novel Música para Antropomorfos nasceu por iniciativa do grupo de rock Mechanics. Nele, Zimbres, por meio de seu traço, dá vida à narrativa sonora do álbum homônimo da banda, resultando em uma obra gráfica rica, complexa e rara – o que faz dela objeto de desejo dos fãs de Zimbres, dos Mechanics e das HQs independentes e autorias.

O Malabarista - Still 03 (300 dpi)

PROGRAMAÇÃO COMPLETA 

29 de outubro (segunda-feira)

18 horas – MOSTRA NACIONAL COM AUDIODESCRIÇÃO PARA DEFICIENTES VISUAIS (Duração: 54’ 25”)
Classificação: 12 anos

19 horas – MOSTRA NACIONAL (Duração: 54’25”)
Classificação: 12 anos

Filmes das duas sessões:

Piconzé
Ype Nakashima – 1’ (trecho do longa metragem) – 1972

O Homem na Caixa
Alê Borges, AlvaroFurloni e Guilherme Gehr – 19’

Millie
Israel Dilean – 5’11”

Insone
Débora Pinto e Breno Guerreiro – 2’19”

Trip
PériclesIanuch – 2’44”

La Loba
Julia de Macedo Nicolescu – 3’9”

8 Patas
Fabrício Eduardo Rabachim, Gabriel Barbosa, Pietro Leonardo NichelattiNicolodi – 2’25”

Um Conselho Animador
Thiago Calçado – 37”

Torre
Nádia Mangolini – 18’

20 horas – MOSTRA INTERNACIONAL (Duração: 52’ 36”)
Classificação: 12 anos

Los Aeronautas
León Fernández – 11’ (México)

Luminaris
Juan Pablo Zaramella – 6’ (Argentina/ 2011)

High Wool
Nikolai Maderthoner e Moritz Mugler – 3’ (Alemanha/ 2013)

El Empleo
Santiago ‘Bou’ Grasso – 6’ (Argentina/ 2008)

Serio
Ana Gusson – 3’22” (Canadá/Brasil/ 2016)

60 Segundos de Oscuridad
Pablo Conde – 4’ (Argentina/ 2018)

The short story of a fox and a mouse
Camille Chaix, Hugo Jean, Juliette Jourdan, Marie Pillier, Kevin Roger – 6’14” (França/ 2015)

Inercia
Becho Lo Bianco e Mariano Bergara – 4’ (Argentina/ 2012) (Becho Lo separado)

Last Call
Sara Barbas – 12’ (Inglaterra/Portugal)

30 de outubro (terça-feira)

15 horas – MOSTRA INFANTIL (Duração: 47’34”)
Classificação: livre

BLWARH Navegando no Deserto
Levi Magalhães – 15’17”

Metamorfose
Jane Carmen Oliveira – 5’22”

Escamas da Noite
Bruna Santana – 1’32”

Chiclete Balão
Felipe Tadeu – 1’

Millie
Israel Dilean – 5’11”

Lé com Cré
Cassandra Reis – 5’29”

Bolha
Estúdio Escola de Animação – 3’48”

O Malabarista
Iuri Moreno – 10 ‘55”

19h30 – MOSTRA FANTÁSTICA ANIMAÇÃO (Duração: 59’)

Seleção de filmes dos gêneros terror, ficção científica e fantasia, realizada pela CRASH – Mostra Internacional de Cinema Fantástico.
Classificação: 16 anos

Hybrids
Florian Brauch, MatthieuPujol, Kim Tailhades, Yohan Thireau e RomainThirion -6’ (França / 2017)

Neck and Neck
Shaun Clark – 5’ (ReinoUnido/ 2016)

Lovorphosis
Roberto Grasso e Sara Irace – 6’ (Itália/ 2017)

Big Booom
Marat Narimanov – 4’ (Rússia/ 2016)

Baumu
Chung e Shao-Chun – 9 min -Taiwan – 2016

Perfect Town
AnaïsVoirol – 4’ (Suíça/ 2017)

Leave With Me
Mel Wong – 3’ (Hong Kong / 2016)

Broadside
Jodi Chamberlain – 3’ (Estados Unidos/ 2017)

Magician of Hearts
Julian Grant – 2’ (EstadosUnidos/ 2017)

Catherine
Britt Raes – 11’ (Bélgica/ 2016)

Deadly Drive-In Disaster
ArjanWilschut – 2’ (Noruega/ 2015)

Inn
Junheng Chen – 4’ (Estados Unidos/ 2017)

20h30 – Lançamento do livro “JORGE SANJINÉS E GRUPO UKAMAU: Teoria e prática de um cinema junto ao povo, com presença e sessão de autógrafos com o tradutor Sávio Leite

20h40 – MOSTRA REGIONAL DE ANIMAÇÕES GOIANAS
E debate entre realizadores da mostra regional. (Tempo total: 43’55”)

Os Causos da Bisavó
Rosa Berardo – 9’ ( 2018)

Low Battery
Fabio Teles – 1’ (2017)

Fome
Rido Farias – 2’ (2017)

A Natureza Agradece
Ana Maria Cordeiro – 14’ (2018)

O Explorador de Saturno
Guilherme e Iuri Araujo – 7’ (2018)

O Malabarista
Iuri Moreno – 10’ 55” (2018)

All % off (Liquidação)
Dustan Oeven – 1’15” (2018)

31 de outubro (quarta-feira)

18horas – MOSTRA HISTÓRICA: 100 ANOS DA ANIMAÇÃO BRASILEIRA
 (Duração: 51’27”)
Classificação: 14 anos

As Aventuras de Virgulino
Luiz Sá – 2’ (1930)

Frivolitá
Luiz Seel – 3’ (1930)

O Átomo Brincalhão
Roberto Miller – 3’47” (1961)

Faz Mal
Stil – 5’(1979)

Precipitação
Marcos Magalhães – 5’ (1983)

Noturno
Aída Queiroz – 4’ (1986)

Informística
Cesar Coelho – 7’ (1986)

Treiler – A Última Tentativa
José Maia, Lancast Mota, Otto Guerra – 5’ (1986)

Uma Saída Política
Arnaldo Galvão – 6’ (1990)

Cuidando, Dá Linha
Núcleo de Animação de Campinas – 7’ (1997)

Reanimando o Kaiser
Direção Coletiva – Releitura do filme de 1917 de Seth – 3’40”

19horas – SESSÃO DE ESTREIAS
Classificação: 16 anos

O Evangelho Segundo Tauba e Primal
Márcia Deretti& Márcio Jr. – 11’35” (Goiânia/ 2018)

Revoltado com a violência e o caos nas metrópoles, Tauba cria sua alternativa ideal, uma cidade-fortaleza-robô. Invejoso, Primal desenvolve sua versão. O filme é uma alegoria do embate entre duas perspectivas antagônicas sobre a vida e a sociedade, abordando o radicalismo, a incapacidade de diálogo e a segregação de um mundo dividido por muralhas.

A Cidade dos Piratas
Otto Guerra – 80’ (Porto Alegre/ 2018)

Um diretor de cinema se vê diante de uma situação complexa no meio da produção do seu longa: o autor da história passa a negar os Piratas do Tietê, personagens principais da trama já quase pronta. Em uma tentativa desesperada de salvar sua produtora e o filme, ele decide contar seu drama, criando um labirinto caótico entre a ficção e a vida real. Aguardadíssimo filme baseado na obra da cartunista Laerte.

20h40 – COQUETEL DE ABERTURA DA EXPOSIÇÃO
MÚSICA PARA ANTROPOMORFOS com a presença do artista Fabio Zimbres 

OFICINAS GRATUITAS DIA 2018
Local: Escola Goiana de Desenho Animado – Al. Botafogo, 235, sala 2 – Centro
Vagas limitadas!

OFICINA DE ANIMAÇÃO - O QUARTO VIVO
Com Fabio Zimbres (RS)
30 e 31 de outubro, das 14h às 18h
Público-alvo: Jovens e adultos, a partir de 15 anos, com noções básicas de desenho e animação.
Inscrições até 28 de outubro pelo site:
www.escolagoianadedesenhoanimado.com
A oficina irá produzir ciclos animados, reunindo o trabalho dos alunos duranteos dois dias de aula em uma animação experimental com direção de arte do premiado Fabio Zimbres.

OFICINA DE ANIMAÇÃO STOP MOTION
Com GiulianaDanza (MG)
17 e 18 de novembro, das 14h às 18h
Público-alvo: Jovens e adultos, a partir de 15 anos.
Inscrições até 10 de novembro pelo site:
www.escolagoianadedesenhoanimado.com
Noções básicas sobre a técnica de animação stop motion, através de exercícios de cor, substituição e deslocamento. Não é necessário saber desenhar. 

SERVIÇO
Data: 29, 30 e 31 de outubro
Local: Cine Cultura (Centro Cultural Marieta Telles Machado), Praça Cívica, nº2, Centro.
ENTRADA FRANCA
Informações: 62 98188 3223
http://diadaanimacaogoiania.blogspot.com/
www.escolagoianadedesenhoanimado.com
escolagoianadedesenhoanimado@gmail.com

Para mais informações sobre as mostras Nacional, Internacional e Infantil:
http://www.abca.org.br/dia/cidades-2018/

Ficha Técnica

Realização: MMarte Produções, Escola Goiana de Desenho Animado e Na Toca Filmes
Produção Executiva: Márcia Deretti, Márcio Jr. e Coelho Nunes
Assistente de Produção: Bruno Jordani
Curadoria: Márcia Deretti e Márcio Jr.
Assessoria de Imprensa: Karla Rady (Olho Comunicação Estratégica)
Arte: Fabio Zimbres
Design Gráfico: Danilo Itty

 

Goiânia sedia maior encontro de pesquisadores em Cinema e Audiovisual do Brasil

Por Georgia Cynara

Palestras, mesas-redondas, oficinas, lançamentos literários e homenagens integram a programação do XXII Encontro Socine, que reflete sobre os 50 anos do maio de 1968. Evento ocorre de 23 a 26 de outubro, no Campus I da UFG

Homenagem_Rubens Machado

A Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (Socine) e a Universidade Federal de Goiás (UFG) promovem, de 23 a 26 de outubro de 2018, o XXII Encontro Socine, o maior encontro de pesquisadores da área no país. Cerca de mil pesquisadores atuantes no Brasil e na América Latina são esperados em Goiânia para o evento, que reflete sobre os 50 anos de maio de 1968.

Homenagem_Ismail Xavier

“À esquerda, temos uma metáfora das conquistas do presente (pluralismo, direitos das minorias, antiautoritarismo, êxtase, liberação sexual, entre outras); à direita, temos a metáfora dos males contemporâneos (crise de valores, falta de autoridade, relativismo absoluto). Nossa proposta este ano, é refletir sobre as transformações precipitadas pelos novos paradigmas filosóficos e sociais e pelos horizontes políticos não apenas nas formas estéticas e cinematográficas, mas também nos modos de produção e recepção dos filmes feitos nesse período”, analisa a presidente da Socine, a pesquisadora e professora Angela Prysthon.

Homenagem_Bernadette Lyra

Uma rica e extensa programação prevê palestras, mesas-redondas, oficinas para a comunidade, lançamentos literários, fórum de pós-graduação, sessões de apresentação de trabalhos científicos e a assembleia geral anual da associação. O evento é realizado e sediado pela UFG (Campus I), com apoio da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e Instituto Federal de Goiás (IFG), com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Homenagem_Eudaldo Guimaraes

Homenagens – O XXII Encontro Socine presta homenagens a grandes personalidades do pensar e fazer cinema no Brasil e em Goiás. Na solenidade de abertura, dia 23/10, às 19h, a homenageada é a professora Maria Bernadette Cunha de Lyra (UFES), apresentada pelo professor Marcius Freire (Unicamp). No encerramento do encontro, no dia 26/10, às 16h30, os homenageados são o projecionista, cineclubista e realizador goiano Eudaldo Guimarães; o Cineclube Antônio das Mortes, fundado em 1977, em Goiânia; e os professores Rubens Machado e Ismail Xavier, da Universidade de São Paulo. As homenagens acontecem no Teatro Asklepiós – Faculdade de Medicina da UFG. “Estamos honrados em receber os mais importantes pesquisadores do país em Goiânia, ao mesmo tempo em que damos a ver nacionalmente o que temos pensado e realizado pelo cinema em Goiás”, afirma o professor da UFG Lisandro Nogueira, diretor local do XXII Encontro Socine.

Homenagem_Cineclube Antonio das Mortes

Pré-Socine – Antes da abertura do encontro, na terça 23/10, entre 9h e 12h e 13h30 e 16h30, os professores João Luiz Vieira (UFF), Talitha Ferraz (ESPM-Rio e PPGCine-UFF), José Cláudio Castanheira (UFSC) e Lara Lima Satler (UFG) convidam a comunidade goianiense a participar do seminário/oficina Pré-Socine, na Sala 205 do Centro de aulas D da UFG. Dividido em dois módulos – Salas de Cinema de Goiânia e arredores: histórico, situação atual e perspectivas presentes e futuras e Histórias de Cinemas: exibição, modos de ver, experiências locais e regionais –, o seminário/oficina tem como principais objetivos motivar e ampliar interesses locais e regionais na preservação de salas de cinema ainda passíveis de reutilização, defendendo a importância e o significado da experiência cinematográfica coletiva; incentivar a organização de grupos comunitários, buscando suas contribuições na articulação de políticas públicas de preservação e reutilização de salas de cinema; estudar a memória dos cinemas de rua no discurso cinematográfico contemporâneo; e formar circuitos regionais articulados, redes de exibição no estado de Goiás e na região centro-oeste do país.

Filme_sem destino

Abertura – Às 19h de 23/10, no Teatro Asklepiós – Faculdade de Medicina da UFG, o professor da Universidade de Buenos Aires Mariano Mestman abre a programação oficial do XXII Encontro Socine com a palestra: As rupturas de 1968 no cinema da América Latina. Com a apresentação da professora Sheila Schvarzman (UAM), a palestra investiga as rupturas trazidas pelo cinema latino-americano de 1968, buscando superar as visões mais generalistas sobre a América Latina e salientar as singularidades de cada país naquele momento histórico.

Filme_oratório para praga

Mostra “Maio de 68” – Ao longo dos dias de evento, ocorre, no Cine Cultura, a mostra vespertina “Maio de 68”. Com curadoria dos pesquisadores Ivan Lima Gomes e Adérito Schneider, a exibição é gratuita e traz títulos importantes da época, como o documentário Longe do Vietnã (dirigido por Joris Ivens, William Klein, Claude Lelouch, Agnès Varda, Jean-Luc Godard, Chris Marker e Alain Resnais, 1967), o aclamado O Bandido da Luz Vermelha (Rogério Sganzerla, 1968), A confissão (Costa-Gavras, 1970), o documentário musical One plus one/Sympathy for the Devil (Jean-Luc Gordard, 1968), Sem Destino (Dennis Hopper, 1969), Se… (Lindsay Ander, 1968), Partner (Bernardo Bertolucci, 1968), o documentário brasileiro em curta-metragem Manhã cinzenta (Olney São Paulo, 1969), Oratório para Praga (Jan Nemec, 1968) e ainda os brasileiros Blablabla (Andrea Tonacci, 1968) e Terra em Transe (Glauber Rocha, 1967).

Filme_Longe do Vietnã

Mesas-redondas – No dia 24/10, às 11h30, na Sala 205 do Centro de aulas D da UFG, acontece a mesa-redonda: A formação para as imagens em Goiás: cinema e audiovisual. Os professores Angelita Lima (FIC/UFG), José Eduardo Ribeiro (UEG) e Renato Naves Prado (IFG) discutem o ensino formal em cinema e audiovisual no estado, com a mediação dos professores Geórgia Cynara e Rafael de Almeida (UEG).

Homenagem_Cineclube Antonio das Mortes_Cartaz

No dia seguinte, nos mesmos local e horário, a mesa-redonda: Imagem, tecnologia e processos de pesquisa reúne os professores Ana Rita Vidica (FIC/UFG), Alice Fátima Martins (FAV/UFG, CNPQ), Daniel Chistino e Rodrigo Cássio (Performances/FCS/UFG). Mediados pela professora Lara Lima Satler (Performances/FCS/UFG), eles discutem os impactos da tecnologia e das mudanças culturais modernas e pós-modernas em narrativas audiovisuais que possuem a imagem como elemento central.

Filme_terra em transe

Ainda no dia 25/10, às 19h, no Teatro Asklepiós – Faculdade de Medicina da UFG, os professores Anita Leandro (UFRJ), Celso Favaretto (USP) e Ivana Bentes (UFRJ) promovem a mesa-redonda: Desinventando o Brasil: vanguardas tropicais e cinemas do presente urgente, com a mediação da professora Angelita Lima (UFG). A mesa resgata o maio de 68 no cinema brasileiro e suas articulações com outros movimentos das “vanguardas tropicais”, desde a Antropofagia, o Cinema Novo, o Cinema Marginal, até as linguagens audiovisuais emergentes em junho de 2013.

Filme_Se

Lançamentos literários, fórum discente – Mais de 20 títulos de autoria de pesquisadores associados à Socine serão lançados no dia 24/10, às 18h, no Centro de Aulas D da UFG, contribuindo para a atualização da bibliografia sobre cinema e audiovisual no Brasil. Em seguida, às 19h, na Sala 205, acontece o III Fórum de Discentes de Pós-Graduação da Socine, quando os alunos presentes ao evento irão discutir o papel da pesquisa em Cinema e Audiovisual em tempos de totalitarismo. “Desta forma, abrimos um espaço de diálogo sobre possíveis deslizamentos entre os processos que completam 50 anos este ano e aqueles que anunciam seu início em 2018”, acreditam Marcela Soalheiro e Wendell da Costa, representantes discentes da Socine.

Filme_Partner-1968

Apresentação de trabalhos – De 24 a 26/10, das 9h às 13h e das 14h30 às 18h, nos 1º e 2º andares do Centro de aulas D da UFG, ocorrem as sessões de apresentações de trabalho, que correspondem à maior parte da programação do evento. Divididas em seminários temáticos, mesas, painéis e comunicações individuais, os trabalhos científicos compõem um panorama abrangente e atual das pesquisas eM cinema e audiovisual no Brasil. Dentre os eixos abordados, estão Audiovisual e América Latina: estudos estético-historiográficos comparados; Cinema brasileiro contemporâneo: política, estética, invenção; Cinema comparado; Cinema e Educação; Cinema Negro africano e diaspórico – Narrativas e representações; Cinemas pós-coloniais e periféricos; Corpo, gesto e atuação; Estilo e som no audiovisual; Exibição cinematográfica, espectatorialidades e artes da projeção no Brasil; Interseções Cinema e Arte; Montagem Audiovisual: reflexões e experiências; Mulheres no cinema e audiovisual; Teoria dos Cineastas e Teorias e análises da direção de fotografia.

Filme_One Plus One-Sympathy-for-the-Devil

Assembleia geral e encerramento – Na sexta 26/10, a partir das 16h30, a Assembleia geral da Socine encerra a programação do encontro em 2018, Teatro Asklepiós – Faculdade de Medicina da UFG. Entre as pautas, estão o posicionamento da associação perante o cenário político brasileiro, a sua organização interna e o planejamento para o encontro de 2019. A seguir, os participantes do XXII Encontro Socine confraternizam na festa de encerramento, a partir das 22h do dia 26, no Complexo Pub.

Filme_O bandido da luz vermelha

Sobre a Socine – A Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (Socine) foi criada em novembro de 1996, com o objetivo de promover a realização e o intercâmbio de pesquisas e estudos de cinema em suas mais diferentes manifestações, incentivando assim a reflexão e a troca de ideias sobre cinema e audiovisual no Brasil. Hoje, a Socine conta com mais de 2 mil sócios, a grande maioria professores e alunos de pós-graduação.

Filme_manhã cinzenta

A Socine promove encontros anuais que se configuram atualmente como o espaço mais importante para a divulgação e o debate dos mais recentes estudos e pesquisas voltados para as manifestações do fenômeno cinematográfico e áreas afins. O encontro anual é também parte do esforço da entidade em propiciar oportunidades concretas de interação entre os profissionais, produtores, críticos, pesquisadores, professores e estudantes do campo do audiovisual das diferentes regiões do país.

Filme_a confissão

Serviço:

XXII Encontro Socine

Período: 23 a 26 de outubro de 2018

Local: Campus I da UFG, Setor Leste Universitário

Mais infohttp://socine2018.com.br/

Filme_bla bla bla

 

Programação

23 a 25/10 (terça a quinta): Mostra “Maio de 1968”

Curadoria: Ivan Lima Gomes e Adérito Schneider

 

23/10 16hLONGE DO VIETNÃ 18h15O BANDIDO DA LUZ VERMELHA 20hA CONFISSÃO
24/10 16hONE PLUS ONE/SYMPATHY FOR THE DEVIL 18h15SEM DESTINO 20hSE…
25/10 16hPARTNER 18h15 -MANHÃ CINZENTA + ORATÓRIO PARA PRAGA + BLABLABLA 20hTERRA EM TRANSE

 

Local: Cine Cultura (Centro Cultural Marietta Teles Machado, Praça Cívica) 

23/10 (terça) 

9h – 12h e 13h30 – 16h30

Seminário/Oficina Pré-Socine

Professores organizadores: João Luiz Vieira (UFF), Talitha Ferraz (ESPM-Rio e PPGCine-UFF) e José Cláudio Castanheira (UFSC)

Organização local: Lara Lima Satler (UFG) 

Local: Sala 205 Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário)

Módulo I:

Palestras: Salas de Cinema de Goiânia e arredores: histórico, situação atual e perspectivas presentes e futuras.

Módulo II:

Oficina:  Histórias de Cinemas: exibição, modos de ver, experiências locais e regionais

19h     

Homenagem: Profa. Maria Bernadette Cunha de Lyra

Apresentação: Prof. Marcius Freire 

Palestra de Abertura: As rupturas de 1968 no cinema da América Latina

Prof. Mariano Mestman (UBA – Buenos Aires, Argentina)

Apresentação: Profa. Sheila Schvarzman (UAM)

Local: Teatro Asklepiós – Faculdade de Medicina da UFG (Rua 235, s/n – Setor Universitário)

24/10 (quarta) 

8h30 – 18h30

Credenciamento

Local: Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

9h30 – 11h00 e 11h30 – 13h00

Sessões de apresentação de trabalho

Local: 1º e 2º andares do Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

11h30

Mesa-redonda: A formação para as imagens em Goiás: cinema e audiovisual

Professores: Angelita Lima (FIC/UFG), José Eduardo Ribeiro (UEG), Renato Naves Prado (IFG)

Mediação: Geórgia Cynara (UEG) e Rafael de Almeida (UEG)

Local: Sala 205 Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

14h30 – 16h00 e 16h30 às 18h00

Sessões de apresentação de trabalho

Local: 1º e 2º andares do Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

18h00

Lançamentos literários

Local: Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

19h00

III Fórum de Discentes de Pós-Graduação da Socine

Local: Sala 205 Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

25/10 (quinta) 

8h30 – 18h30

Credenciamento

Local: Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

9h30 – 11h00 e 11h30 – 13h00

Sessões de apresentação de trabalho

Local: 1º e 2º andares do Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

11h30

Mesa-redonda: Imagem, tecnologia e processos de pesquisa

Professores: Ana Rita Vidica (FIC/UFG), Alice Fátima Martins (FAV/UFG, CNPQ), Daniel Chistino e Rodrigo Cássio (Performances/FCS/UFG)

Mediação: Lara Lima Satler (Performances/FCS/UFG)

Local: Sala 205 Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

14h30 – 16h00 e 16h30 às 18h00

Sessões de apresentação de trabalho

Local: 1º e 2º andares do Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

19h00

Mesa-redonda: Desinventando o Brasil: vanguardas tropicais e cinemas do presente urgente

Professores: Anita Leandro (UFRJ), Celso Favaretto (USP) e Ivana Bentes (UFRJ)
Mediação: Angelita Lima (UFG)

Local: Teatro Asklepiós – Faculdade de Medicina da UFG (Rua 235, s/n – Setor Universitário) 

26/10 (sexta) 

8h30 – 18h30

Credenciamento

Local: Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

9h30 – 11h00 e 11h30 – 13h00

Sessões de apresentação de trabalho

Local: 1º e 2º andares do Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário) 

14h30 – 16h00

Sessões de apresentação de trabalho

Local: 1º e 2º andares do Centro de aulas D da UFG (1ª Avenida, 815, St. Leste Universitário)

16h30 – 19h00

Homenagem: Eudaldo Guimarães (projecionista, cineclubista e diretor)

Prof. Rubens Machado

Prof. Ismail Xavier

Cineclube Antônio das Mortes

Assembleia Geral da Socine

Local: Teatro Asklepiós – Faculdade de Medicina da UFG (Rua 235, s/n – Setor Universitário) 

22h     Festa de encerramento

Local: Complexo Pub (Rua 7, 475, Centro)

 

Após hiato de sete anos, festival Moonstock é retomado na Chapada dos Veadeiros

Por Taynara Borges

Shows, oficinas e performances integram a programação entre 19 e 21 de outubro

Conhecido como “Woodstock do Cerrado”, um dos festivais mais tradicionais volta à Chapada dos Veadeiros em sua 15ª edição, no ano em que completa 25 anos de história. Serão três dias de muita música, sobretudo de muito rock’n roll, na Praça do Bambu, em Alto Paraíso. Além de shows, haverá também oficinas, performances e apresentações que prometem uma verdadeira imersão artística no coração do Brasil. Toda a programação é gratuita.

01.maracatu.leao.do.cerrado

Entre as 20 atrações que se apresentarão de sexta (19) a domingo (21), boa parte reside em Goiás ou no Distrito Federal, fomentando a valorização de artistas locais. Alguns, inclusive participam do festival desde a primeira edição, como Os Cachorros das Cachorras (DF) e Nata Violeta (DF). Além disso, o Moonstock contará ainda com atrações de outros estados, como Allmind (SP) e Brahmastra (RJ) e do flautista uruguaio Antônio Cáceres.

06.Seu.Preto

Nos três dias, a programação começa às 16h, com oficina gratuita na Praça do Bambu, promovida do goiano Maracatu Leões do Cerrado. Na sexta, quem fecha a noite é a Celebration Band (DF), que há mais de dez anos homenageia Led Zeppelin. No sábado, além do rock de Amanita Muscaria (DF), haverá dança do ventre com Íris Nurhan (DF) e uma apresentação intimista de Pacatto do Alto (GO), baseada no improviso. Domingo, a programação começa com uma batalha de Rima Freestyle entre artistas da Chapada, e termina com show do rapper RAPadura Xique-Chico (CE), que encerra o festival com um repertório que mescla rap e cultura popular.

moonstock_Banner

HISTÓRIA

Na primeira edição, realizada em 1993, cerca de 2500 pessoas estiveram presentes no festival, superando, em números, a população da cidade. O Moonstock foi idealizado pelo músico e produtor Pacatto do Alto em parceria com o videomaker Abdon Bucar. Pacatto conta que tudo surgiu de uma brincadeira, em um dia de lua cheia: “Eu vi um casal de hippies passando e brinquei, dizendo que o pessoal estava voltando de Woodstock 25 anos depois, e daí surgiu a ideia de fazer o festival”.

07.Celebration.Band


WOODSTOCK

A semelhança com um dos festivais mais marcantes da história não se resume apenas ao nome. Assim como em 1969, serão três dias de rock’n roll, em um lugar rodeado de belezas naturais e tendo como lema principal paz e amor, que foi inclusive o que motivou uma atualização da logomarca do festival. “A imagem dos outros cartazes era sempre de um lobo uivando para lua, dessa vez escolhemos a pomba da paz que foi o símbolo de Woodstock. Estamos vivendo em um momento de tanto ódio, de tanta disputa eleitoral e eu espero que as pessoas venham em busca de harmonia, em busca de rock, em busca de paz”, afirma o idealizador do evento, Pacatto do Alto.

09.pacatto

PRODUÇÃO

Além de ser produzido pela Paradise Produções Artísticas, em 2018 o Moonstock conta, pela primeira vez, com o patrocínio do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás. Segundo Pacatto, o apoio do Fundo deu uma nova dimensão para o festival, possibilitando a ampliação da programação e da estrutura. O evento também conta, este ano, com o apoio da Prefeitura de Alto Paraíso, da Rádio Cultura FM de Brasília, e do Instituto Amada Terra.

RAPADURA 03


SERVIÇO

Festival Moonstock

Praça do Bambu – Alto Paraíso (GO)

19, 20 e 21 de outubro

Sexta – 19/10

16h – Oficina – Maracatu Leão do Cerrado (GO)

20h – Caos – João de Lima e Lieber (IPEARTES – GO)

20h30 – Sol Cigano (Chile/Argentina)

21h – Captain Jack (GO)

22h – Os Cachorros das Cachorras (DF)

23h – Thiago Coimbra (DF)

00h – Seu Preto (DF)

01h – Celebration Band (DF)

Sábado – 20/10

16h – Oficina – Maracatu Leão do Cerrado (GO)

20h – Maracatu Leão do Cerrado (GO)

21h – Íris Nurhan Dança (DF)

22h – Segredo Instrumental (GO)

23h – Pacatto Cidadão do Alto (GO)

00h – Nata Violeta (DF)

01h – Amanita Muscaria (DF)

Domingo – 21/10

16h – Oficina – Maracatu Leão do Cerrado (GO)

18h – Chapada Rima (GO)

19h – Antonio Cáceres (Uruguai)

20h – Brahmastra (RJ)

21h – Goiaba e os tranquilos (GO)

22h – Allmind (SP)

23h – Alex Sanderson (GO)

00h – Rapadura Xique Chico (CE)

moonstock2018-cartaz

Quasar completa 30 anos voltando aos palcos de Goiânia

Por Ana Paula Mota 

Depois de um hiato de dois anos, companhia apresenta “O que ainda guardo…”, criado para o projeto Preciosidades Vivara, com apoio do Ministério da Cultura e da Vivara

O

O novo espetáculo da companhia de dança goiana Quasar reacende uma chama que estava apagada. São essas as palavras de Vera Bicalho, diretora-geral da companhia, ao falar do novo espetáculo que chega aos palcos da cidade natal neste mês de outubro, depois de dois anos de trabalho paralisado. “O que ainda guardo…”m é o espetáculo comemorativo de 30 anos da Companhia e será apresentado nos dias 26, 27 e 28 de outubro no Teatro Goiânia, sexta e sábado às 21 horas e domingo às 19h. Os ingressos custam R$ 50,00 e R$ 25,00 a meia-entrada (o desconto é válido também para quem doar 1 litro de óleo de cozinha). Com clima de renovação, o novo trabalho nasce através de uma parceria com a grife de joias, Vivara. O espetáculo tem apoio do projeto Preciosidades Vivara e Ministério da Cultura. A circulação da obra é realizada pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015 e conta também com o apoio do SESC e da World Group Company (GO). 

O

Dossiê 

No dia 26 de outubro, também em comemoração aos 30 anos da Quasar, será lançado, junto ao público presente no Teatro Goiânia, um dossiê sobre a Companhia, chamado Um Corpo Celeste em Movimento. Trata-se de um Levantamento histórico, memorial e afetivo sobre uma das mais importantes companhias brasileiras de dança contemporânea, destes últimos 30 anos.

Foto Joao Gabriel Hidalgo 7

O conteúdo é uma compilação de entrevistas, materiais audiovisuais e impressos, que criam um panorama da história do grupo e de sua importância identitária, cultural e artística, no Brasil e no mundo. A coordenação desse trabalho foi de Luana Otto (Balaio Produções Culturais), que contou com os pesquisadores Hélio Fróes e Rô Cerqueira, no trabalho de campo, de coleta de informações e materiais.

O

A Bossa e a Quasar 

O que ainda guardo…, é um espetáculo essencialmente brasileiro, que tem a Bossa Nova como o som que dá ritmo aos corpos, unindo-se às composições o talento e sagacidade que energizam os dançarinos da companhia. Por trás desse diálogo, encontramos riquezas culturais de valor inestimável. De acordo com o coreógrafo da companhia, Henrique Rodovalho, o espetáculo ainda carrega elementos que dizem sobre os 30 anos de existência da Quasar e suas características marcantes. “Estilo do movimento, o humor e a leveza na dança. O que nos faz sermos reconhecidos e admirados até hoje por onde apresentamos”, comenta o coreógrafo.

O

Os 30 anos da Quasar coincidem com os 60 anos da Bossa Nova, temática proposta pela Vivara para esse novo espetáculo em parceria com a Companhia goiana, especialmente convidada para o projeto. A encenação, adianta Rodovalho, não guarda um relato linear. As letras das canções de Bossa Nova foram pontos chave para que um tipo de movimento se arquitetasse entre coreógrafo e intérpretes. Os temas abordados pelos compositores, muitos deles singelos e ligados a um cotidiano ingênuo e pueril, nesta trilha sonora são cantados como se fossem conversas entre amigos. Esta maneira coloquial de fazer poesia inspirou um tipo de movimentação que permeia toda obra. A partir daí o espetáculo foi se revelando como um diálogo provocativo e nada previsível, entre temas, canções e coreografias.

O trabalho desenvolvido pela companhia goiana atendeu as expectativas da Vivara, de acordo com a diretora de marketing. “A Vivara presenteou o público de São Paulo e Rio de Janeiro, com uma experiência única, inesperada, inesquecível”, afirma Marina Kaufman, diretora de marketing da joalheria.

Volta aos palcos 

Para Rodovalho, a volta aos palcos com este espetáculo representa a oportunidade de mostrar que ainda há um grande desejo de continuar o trabalho conhecido e admirado no Brasil e em mais 25 países por onde já passaram. “É uma oportunidade de mostrar que a nossa dança, apesar desta pausa, continua viva, com o mesmo desejo e com a mesma qualidade reconhecida e desejada pelo nosso imenso público que nos acompanham por todos estes anos”, comenta.

Nas palavras de Bicalho, comemorar os 30 anos com este novo espetáculo é misto de paixão e enfrentamento. “Nos dá fôlego e a certeza de que estamos vivos”, resume a diretora. Ainda que sem patrocínio de permanência, o espetáculo impulsiona o 30º ano de vida da companhia que vai circular cinco cidades com o espetáculo. Vencedores do Prêmio Klaus Vianna, da Funarte, o novo trabalho circula por Palmas (TO), Gravataí (RS), Canoas (RS) e Brasília (DF), além de Goiânia. O espetáculo já passou pelos palcos de São Paulo e Rio de Janeiro nos últimos 22, 23 e 26 de setembro.

Serviço: 

Quasar Cia de Dança comemora 30 anos apresentando “O que ainda guardo” e lançando dossiê de sua trajetória

Local: Teatro Goiânia

Datas: 26, 27 e 28 de outubro

Tempo: 64 minutos – Classificação: Livre

Horários:

Sexta e sábado – 21h / Domingo – 19h

Ingressos: R$50,00 (inteira) | R$25,00 (meia-entrada)

Venda antecipada de ingressos: Sympla.

Com desconto de 50% pela plataforma até o dia 25/10

Na bilheteria: 26, 27 e 28/10 – a partir das 14h

Com desconto de 50% para quem doar 1 litro de óleo de cozinha. Os donativos serão doados para uma creche em Goiânia.

Ficha técnica “O que ainda guardo…”:

Criação e Direção Coreográfica: Henrique Rodovalho – Direção de Ensaio: Valeska Gonçalves – Bailarinos: Claudionor Alves; Gabriela Leite; Gustavo Silvestre; Jey Santos; Loretta Pelosi; Marcella Landeiro; Rafael Abreu; Rafael Luz; Thaís Kuwae; Valeska Gonçalves – Figurino: Júlia Novaes; Cocriação do figurino: Ana Maria Mendonça; Execução do figurino: Criatto | Eulésia Lima; Cenário: Marcus Camargo; Desenho de Luz: Henrique Rodovalho; Operação de luz: Sérgio Galvão; Coordenação de Produção: Vera Bicalho ; Produção: Giselle Carvalho – Direção geral da Quasar Cia. de Dança: Vera Bicalho – Direção artística da Quasar Cia. de Dança: Henrique Rodovalho

 

Segunda edição da Feira de Arte Goiás será em outubro, na Vila Cultural Cora Coralina

Por Palavra Comunicação

A Feira de Arte de Goiás (Fargo) chega a sua segunda edição com programação e espaço ampliados, dos dias 24 a 28 de outubro, ocupando toda a Vila Cultural Cora Coralina. Além de mais espaço, a segunda Fargo ganhou mais dois dias de exibição.

Wanessa Cruz e Sandro Torres alta

Este ano, serão 30 estandes que vão reunir profissionais, artistas e expositores que fazem parte da cadeia produtiva das artes, como fábricas e lojas de molduras e insumos artísticos, livrarias e editoras com publicações no campo das artes, fotógrafos, jornalistas, leiloeiros, galeristas, colecionadores especializados e qualquer um – profissional ou estudante – que tenha interesse na produção artística e nos seus produtos. O projeto conta com vários parceiros culturais e institucionais na sua viabilização, mas o principal aporte se dá via editais públicos de cultura, como o Fundo de Arte e Cultura de Goiás (FAC-GO) e a Lei Goyazes de Incentivo à Cultura.

Durante a Fargo, haverá som ambiente com DJs convidados e, todos os fins de tarde, pocket shows musicais com ritmos como chorinho, jazz, blues e MPB, além de uma área de convivência com alimentação, café, bebidas em geral, comidinhas, guloseimas e doces. O evento, idealizado pela Arte Plena Produções, tem a curadoria de Sandro Tôrres, diretor da Arte Plena Produções Culturais, Gilmar Camilo, curador do Museu de Arte Contemporânea de Goiás (MAC-GO) e Ester Krivkin, divulgadora nacional.

Wanessa Cruz e Sandro Torres, idealizadores da Fargo

A primeira edição da Fargo, em 2017, superou as expectativas dos realizadores e recebeu um público estimado de dez mil pessoas. “O desafio da implantação foi recompensado com a adesão da comunidade artística, do empresariado, das instituições, dos estudantes e dos jovens e do público em geral”, avalia Wanessa Cruz.

Para a segunda edição, a aposta é ainda mais ousada, já que a feira ganhou mais dois dias, mais espaço e uma programação ampliada de palestras e rodas de conversa.

A Fargo pretende fomentar o mercado em torno das artes visuais a fim de fortalecer as relações produtivas e comerciais em torno deste segmento. “Percebemos, na primeira edição, que a produção das artes em Goiás existe em profusão e em qualidade. A Fargo possibilita visibilidade e possibilidade de negócios e da comercialização desta produção”, explica Wanessa Cruz.

Além dos artistas goianos, a Fargo também envolve as universidades e faculdades que oferecem cursos em áreas relacionadas – artes visuais, design e arquitetura – e emite certificado de participação para os alunos. “Esta aproximação é necessária como instrumento de formação de público”, observa Sandro Tôrres. 

Seminário

Paralelamente à Feira, no auditório da Villa Cultural acontecerá a terceira edição do III Seminário Nacional O Campo das Artes – Bastidores da Criação, um evento de formação com palestrantes locais e nacionais com ampla experiência e reconhecimento. Os temas das palestras são Confluências de Linguagens – Arte, Arquitetura, Design, Arte Engajada – Poéticas Mistas,Sistemas de Arte – Novos Meios, Novas PlataformasMercado, Ambições, CarreirasGravura, Ilustração, Animação, HQ. Entre os palestrantes já estão confirmados os seguintes nomes:

Leo Romano (GO) – arquiteto e designer;

Waldick Jatobá (SP) – designer e curador de design;

Fabiana Queiroga (GO) – artista e designer;

Renato de Cara (SP) – diretor do Museu da Cidade e curador;

Kdu dos Anjos (MG) – performer e ativista social;

Guilherme Werneck (SP) – crítico e jornalista;

Helena Bagnoli (SP) – crítica e jornalista;

Renato Negrão (MG) – performer e escritor;

Mariana de Matos (PE) – artista visual e escritora;

Márcio Jr (GO) – artista, escritor e cineasta;

Celma Paese (RS) – arquiteta e professora;

Zé César (GO) – artista e professor;

Oto Reifschneider (DF) – curador de arte e galerista;

Márcia Deretti (GO) – curadora de cinema e cineasta;

Samuel Casal (SC) – ilustrador;

Sonia Rodrigues (SP) – gerente da Arjowiggins para a América Latina, e

Gregory Kravchenko (GO) – engenheiro de produção e designer.

 

Festa 800 – Transformação

Por Workpress Communicação  

O Universo estava quente e denso, uma única partícula causou um cataclismo cósmico inigualável. O mundo passou por várias mudanças e toda a história  concentrará no dia 13 de outubro, durante a Festa 800

Festa 800 2017 (2)_menor

Transformação. Esse é o tema principal da 5ª edição da Festa 800 este ano – uma das melhores festas eletrônica do Brasil, que traz em seu DNA uma grandiosidade jamais vista. Grandes DJs, reconhecidos mundialmente como Bruno Be, Felguk, Radiomatik, Flow e Chemical Surf e outros irão comandar dois dias de festa, 12 e 13 de outubro, na capital do coração do Brasil. Uma estrutura excêntrica, vinda da Europa, revelará que o evento chega para proporcionar um novo marco na história das noites eletrônicas, na Villa Cavalcare, em Goiânia.

Festa 800 2017_menor

O tema da Festa 800 2018 vem para provocar sensações e metamorfoses, fascinar e inovar. São oitocentas transformações, desde a matéria até o pensamento humano, essa é a grande evolução.

Festa 800 2017 (6)_menor

Na linha de transformações – do primitivo a um futuro incrível, o evento contará com uma grande tenda e shows a parte. Performance em diversos locais da festa, com aéreo, pernas de pau, fogos, tecidos acrobáticos e todo lúdico circense fazem parte do espetáculo. Estrutura excêntrica, efeitos especiais e luxo levados ao nível extremo se conciliam com a batida perfeita de grandes nomes da música eletrônica.

Atrações musicais

BRUNO BE 
DJ Bruno Be_menor

Uma das principais atrações da noite, é o DJ e produtor, Bruno Be. O hitmaker possui um dom próprio ao mesclar vários gêneros musicais em um único, uma vez que seu principal foco é o Deep House. Tal característica é nitidamente notável em suas produções musicais, e isto o levou a ter um grande reconhecimento não somente no cenário musical nacional como no internacional.

FELGUK
Felguk (2)_menor

Outra atração do evento, é o duo de DJs e produtores Felipe Lozinsky e Gustavo Rozenthal – o Felguk. Eles despontaram no cenário eletrônico em 2010, quando tiveram a faixa “2nite” como música do trailer oficial – no maior festival de dance music dos EUA, Electric Daisy Carnival. No mesmo ano, a dupla tocou no “Noceeder”, de 2007. Felguk também remixou a faixa “Celebration” da popstar Madonna, “Club Can’t Handle Me” do rapper Flo Rida, com participação de David Guetta, e “The Time (Dirty Bit)”, do grupo The Black Eyed Peas.

Ao longo da carreira, o Felguk se firmou como um expressivo “top seller”, no site Beatport, tendo acumulado até outubro de 2014 um total de 12 TOP10 no ranking de Electro-House.

RADIØMATIK
Radiomatik (2)_menor

Diego Moura é um popular nome na cena eletrônica brasileira, tendo passado por grandes clubes no Brasil e no mundo, assim como residência em aclamados clubes e festivais, além de lançamentos pela gigante Universal Music.

Com o intuito de juntar a bagagem musical do reconhecido produtor e DJ Diego Moura, com a genialidade do músico Mario Velloso, surge o RADIØMATIK. Diego Moura é um popular nome na cena eletrônica brasileira, tendo passado por grandes clubes no Brasil e no mundo, assim como residência em aclamados clubes e festivais, além de lançamentos pela gigante Universal Music.

Sem rótulos, o projeto traz uma envolvente mistura das raízes da House Music, desde os hits e clássicos mundiais de todos os tempos, reformulados numa roupagem bem característica, até as invenções sintetizadas que dominam as pistas da atualidade.

FLOW

Outro a se apresentar no dia, é o DJ e produtor Williham Oliveira, com seu projeto “FLOW “. Com um set eclético, ele procura agradar todos os públicos, ao compor músicas nostálgicas e hits atuais.

CHEMICAL SURF
Chemical Surf_menor

Chemical Surf é formado pelos irmãos Lucas & Hugo Sanches, expoentes da nova geração que levou o Brasil a figurar de vez nas maiores gravadoras do mundo. Assinaram contratos com as gigantes Defected, Suara, Get Physical, Kittball, Armada, Kontor, Bunny Tiger etc.

Não demorou para surgirem apresentações em países como Alemanha, Inglaterra, Holanda, França, Espanha, Croácia… Incluindo respeitados clubs europeus como La Machine Du Moulin Rouge (Paris), Suicide Circus (Berlin), Club NL (Amsterdam), Indigo (Londres), Carpe Diem Beach Club (Hvar) entre outros.

Foram destaques no Rock in Rio e Lollapalooza em 2015, e também estão confirmados para o EDC, além de se apresentarem semanalmente nos principais clubs e festivais do Brasil! Já figuraram diversas vezes no top100 do Beatport, produzindo sucessos como ‘Walking Back”, Don’t be jealous”, “Good time” e o megahit “Bass”, a música mais executada no verão de 2015.

SAMHARA

Samhara sem dúvida é uma das principais estrelas femininas da cena eletrônica brasileira. Com mais de 80 mil fãs em suas redes sociais, ela tem feito a diferença em grandes festas, festivais e clubes pelo Brasil.

O seu conjunto de música, performance e visual têm preenchido o que o entretenimento mais precisa na atualidade. A DJ é uma das artistas da música que criam o seu próprio espetáculo com uma forma natural de conquistar a sinergia do público.

Não é à toa que já teve gigs e grandes momentos ao lado de DJs icônicos como Erick Morillo, Fatboy Slim e hoje é residente dos principais club tours e weekends do país. 

VINNE
Vinne_menor

Vinne é o novo prodígio da música eletrônica nacional, dono dos hits “Rock U” “I’m a Wild” (tocada por Kolombo no Tomorrowland) e de vários outros sucessos.

Mesmo muito jovem e com tão pouco tempo de carreira, o DJ e produtor já se destaca na cena nacional com originalidade e personalidade forte que sempre lhe garantem um lugar no top 100 do Beatport, sempre inovando e mantendo a autenticidade.

PONTIFEXX

Pontifexx, a.k.a. Tomas Pontifex, é um jovem DJ e produtor de São Paulo, novo nome da cena eletrônica, que vem se destacando com suas produções e apresentações nas mais diversas casas noturnas ao redor do país. Ele já se apresentou em diversas festas, casas noturnas e festivais, tais como, Music Motion, P12, Café de la Musique, Reveillon de Milagres, Milk, Provocateur, Disco, Holi One Festival, entre outros.

O paulistano, que iniciou produzindo música desde cedo em sua vida, teve como influências o piano clássico e outras diversas bandas, como Coldplay e U2. Ele recentemente chamou atenção de DJs internacionais que chegaram a tocar suas produções.

ROYAL INC.

O projeto Royal Inc. surgiu a partir da paixão dos DJs Ricardo Pazos e Elias Goca por um amor em comum: a House Music. Eles que, individualmente possuem uma bagagem de peso, se uniram para levar à pista o melhor da E-music, juntamente a surpresas que a dupla leva para o público.

O Royal Inc. é reconhecido pelas qualidades que um real artista necessita, das quais se destacam a presença de palco e o feeling que a pista de dança precisa, além de set’s dançantes.

RAFAEL DIEFENTALER

Rafael Diefentaler também está entre os DJs da nova geração, um dos mais requisitados e renomados da cena nacional. Seu bom gosto musical, que combina sons refinados e, ao mesmo tempo, vibrantes, tornam inesquecíveis todas as festas que comanda. Sua presença é sinal de sucesso para qualquer evento.

O artista traz seleções exclusivas e criativas que vão do Deep House ao House Music, além de remakes de grandes clássicos.

Seu jeito divertido de comandar as pick-ups é único: bate palmas, dança com a galera, interage, brinca. Diefentaler transforma a cabine do DJ em palco, de onde oferece ao público um show ímpar.

RAFAEL DE PAULA

Vem do berço das melhores festas do Brasil e uma das maiores revelações do cenário brasileiro! Já marcou presença em festas como a Festa Euro, Fextinha, Réveillon Paradigma, Festa 799, Vintage in Concert, Favorita e nas melhores  casas de festa do Brasil – Tetto Rooftop, Café de La Musique, Sedna Lounge, SOHO Hookah Lounge, dentre outras. O queridinho de Goiânia vem pra proporcionar a vocês uma noite inesquecível com um som de muita qualidade!

SERVIÇO

FESTA 800

Data: 12 e 13 de outubro

Local: Villa Cavalcare – Rua MP 12, Res. Mar Del Plata, Goiânia – GO

Valores dos ingressos: 2º lote R$ 620 reais (masculino), R$ 420 reais (feminino)

Vendas online:

www.sympla.com.br/festa800

Pontos de Vendas:

Soho Hookah Lounge

Bahrem – Unidade Marista

Barbearia Navalhett

Garibaldi Restaurante

H Beauty & Care

Tio Bák – Anápolis

Delivery Goiânia:

Murilo (62) 9 9248 5659

Leonardo (62) 9 8269 6533

Porto Bilheteria (62) 9 8544 9160

 

Selon abre exposição “A Metade do Dobro” na galeria Haus Of Love, em Goiânia

Por Up Mix 

O artista Selon expõe aproximadamente 20 obras em diversos formatos na exposição “A Metade do Dobro”, que será realizada entre 26 de setembro e 20 de outubro, na galeria de arte Haus Of Love, no Setor Nova Suíça, em Goiânia.

Selon

Em “A Metade do Dobro”, o goiano apresenta uma fração de sua produção pictórica dos últimos dois anos, trazendo a essência de sua expressão visual. Suas pinturas exploram possibilidades cromáticas e composições geométricas onde linhas e planos forjam dinâmicas e perspectivas controversas.

exposição selon (6)

O artista, com 17 anos de carreira, pesquisa pintura e seus desdobramentos pela via das intervenções urbanas, da pintura mural, gravuras com uso de tecnologia digital e objetos. Através de suas ações pelas ruas, Selon já foi convidado a realizar obras para instituições e empresas nacionais e internacionais.

exposição selon (8)

Perfil

Selon nasceu Santhiago Vieira de Andrade e Silva, em Catalão, mas vive em Goiânia desde os 5 anos. É bacharel em Design de Comunicação pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) e especialista em Artes Visuais – Cultura e Criação pela Faculdade Senac.

exposição selon (7)

Artista com quase 20 anos de carreira, tem no currículo mais de 80 pinturas pela capital goiana. Entre 2010 e 2017 já realizou cinco exposições individuais em Goiânia e Uberlândia (MG).  Já as exposições coletivas foram 22 em Goiás, Minas Gerais, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Santa Catarina, Rio de Janeiro e São Paulo. 

exposição selon (5)

Galeria de arte Haus Of Love

A galeria de arte Haus Of Love nasceu do sonho do renomado fotógrafo Henrique Monducci, que desejava encontrar em um só espaço trabalhos de artistas conhecidos junto com outros em início de carreira. “Não entendia porque não poderia misturar os profissionais e logo percebi a carência desse tipo de ambiente na cidade”, conta Monducci.

exposição selon (4)

O espaço está localizado em uma ampla residência dividida em seis ambientes, onde atualmente estão expostas obras de cerca de 30 artistas completamente diferentes.

À frente da galeria, Henrique Monducci conta com a ajuda de seu parceiro, o estudante de Moda, Guilherme Assunção. “Sinto que estamos contribuindo para que o artista consiga viver dignamente da sua arte”, exemplifica Monducci, sobre seu trabalho.

exposição selon (3)

O fotógrafo já morou em Nova York e Las Vegas, além de ter trabalhado no Japão e fotografado para revistas internacionais como Vogue e Elle. 

convite exposição

Serviço:

Vernisage para convidados:

Haus Of Love

Data: 25/09/2018 (terça)

Horário: Das 18hrs às 22hrs

Endereço: Rua C-266, nº 167, Setor Nova Suíça, Goiânia – GO, 74280-280

*A galeria funciona normalmente de segunda à sexta-feira das 14hrs às 18hrs e Sábado das 15hrs às 19hrs, sem necessidade de agendamento.

Telefone: 62 3624 9784 – 98335 6666 (WhatsApp)

Instagram: @hausofloveart

Facebook: Haus Of Love